Bovespa sobe em busca dos 72 mil pontos

Por Olívia Bulla

São Paulo – A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu hoje mirando os 72 mil pontos, mas a falta de fôlego dos mercados no exterior inibe o desempenho das ações no Brasil. Os ganhos recentes sugerem que os investidores podem partir para a realização de lucros. Às 10h29 (horário de Brasília), o índice Bovespa (Ibovespa), após abrir a sessão em leve baixa, avançava 0,03%, para 71.699 pontos.

Para superar a difícil tarefa de testar o topo deste ano, em torno dos 72 mil pontos, analistas afirmam que o Ibovespa venceu a primeira etapa dessa missão, que foi fechar o pregão de ontem acima dos 71,5 mil pontos. À frente, o nível ao redor dos 74 mil pontos é uma marca psicologicamente importante, o que abriria o caminho para o patamar de 80 mil pontos. Em direção contrária, a realização de lucros até os suportes nos limites inferiores de 71 mil pontos e 70 mil pontos é vista como “saudável”, para novas escaladas mais consistentes. Porém, se romper os 69.990 pontos, a pressão de venda de ações tende a se intensificar.

O caminho que o Ibovespa irá seguir passa pelo desempenho dos principais índices no exterior, sobretudo em Nova York. No Brasil, segundo divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as vendas do comércio varejista cresceram 2% em agosto ante julho, no maior aumento porcentual para o mês desde o início da série histórica e no teto das estimativas projetadas pelo mercado.

Os números devem alavancar ainda mais o sentimento positivo em torno das ações ligadas à demanda interna – como as de construtoras, varejistas, empresas aéreas e de alimentos. Esses setores vêm conduzindo os ganhos recentes da Bolsa.