Bovespa renova mínimas pressionada por siderúrgicas

Entre os destaques de baixa estavam Usiminas (-4,36%), CSN (-3,63%) e Bradespar (-3,41%)

São Paulo – A Bovespa acentuou suas perdas e atingiu novas mínimas no início da tarde desta sexta-feira, 7. O mercado brasileiro é pressionado pela retração das ações de siderúrgicas em meio aos temores com a China, e também pela falta de direção clara em Nova York.

Apesar de os dados sobre o mercado de trabalho nos EUA em fevereiro terem vindo melhor do que o esperado, as bolsas norte-americanas já estão em máximas recordes e precisam de uma “pausa para respirar”, segundo operadores.

Por volta das 13h25, o Ibovespa perdia 0,77%, a 46.732,70 pontos, depois de ter tocado pouco antes a mínima de 46.653,31 pontos. Entre os destaques de baixa estavam Usiminas (-4,36%), CSN (-3,63%) e Bradespar (-3,41%). Em Nova York, o Dow Jones perdia 0,02%, S&P 500 recuava 0,26% e Nasdaq tinha queda de 0,67%.

Enquanto isso, os juros futuros continuam em alta, impulsionados pela valorização do dólar e o avanço nos yields dos Treasuries, após a divulgação de indicadores melhores do que o esperado sobre o mercado de trabalho nos EUA. Foram criadas 175 mil empregos em fevereiro, acima da expectativa de 152 mil.

No horário acima, a taxa do DI para julho de 2014 marcava 10,80%, de 10,79% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2015 apontava 11,12%, de 11,08% no ajuste anterior. Na ponta mais longa, o DI para janeiro de 2017 registrava 12,50%, de 12,37%. O DI para janeiro de 2021 tinha taxa de 12,90%, ante 12,80%.

Nos EUA, o juro da T-note de 10 anos atingiu hoje o nível mais alto desde meados de janeiro, a 2,818%. Após o payroll, Bill Gross, gestor do maior fundo de bônus do mundo e fundador da Pacific Investment Management Co. (Pimco) orientou no Twitter que seus clientes vendam Treasuries.

“Venda o que o Fed (Federal Reserve, o banco central norte-americano) está comprando, porque eles não vão mais estar comprando isso quando o tapering acabar em outubro”, escreveu.

O dólar também se mantém em alta em função do payroll. Por volta das 13h25, o dólar à vista subia 0,91%, a R$ 2,3390, mas o giro era baixo, próximo de US$ 445,02 milhões, segundo dados da clearing de câmbio da BM&FBovespa. Hoje a taxa Ptax fechou com ganho de 1,25%, a R$ 2,3382.