BOVESPA-Mercado sobe com NY em meio a exercício de opções

SÃO PAULO, 20 de setembro (Reuters) – O principal índice
das ações brasileiras subia nesta segunda-feira, acompanhando o
comportamento do mercado internacional em uma sessão sem dados
relevantes no exterior e com vencimento de opções no Brasil.

Às 11h48, o Ibovespa tinha alta de 0,94 por cento,
a 67.721 pontos. O giro financeiro do pregão, inflado pelo
exercício de opções sobre ações, era de 2,7 bilhões de reais.

No mesmo horário, os índices Dow Jones e Standard &
Poor’s 500 subiam por volta de 1 por cento. Em Nova
York, a principal expectativa é com o possível anúncio de novas
medidas do Federal Reserve para estimular a economia. A reunião
de política monetária do Fed termina terça-feira.

No Brasil, as ações preferenciais da mineradora Vale
e da Petrobras eram os papéis com maior
giro dentro. Essas ações, que tradicionalmente têm a maior
liquidez do mercado brasileiro, também são as mais
influenciadas pelo exercício de opções.

De acordo com o operador de um banco de investimento, a
principal “briga” estava nas ações da Vale “para ver se vai dar
(o exercício) a 42 (reais) ou não.”

As ações PN da Vale tinham alta de 0,6 por cento, a 42,08
reais, e as da Petrobras subiam 0,8 por cento, a 26,65 reais.

Em terceiro lugar, em termos de giro, estava a petrolífera
OGX , com queda de 0,2 por cento, a 20,24 reais. A
empresa anunciou a presença de hidrocarbonetos no poço OGX-20,
no bloco BM-C-41, na Bacia de Campos. [ID:nN20195935]

“O desempenho da OGX tem sido limitado por outras iminentes
transações no setor”, afirmaram os analistas Paula Kovarsky,
Diego Mendes e Giovana Arauújo, da Itaú Corretora, em
referência às negociações da OGX para a venda de ativos a
investidores estrangeiros. “Porém nos tornaríamos compradores
em qualquer enfraquecimento da ação.”

Entre as maiores altas percentuais do Ibovespa,
destacava-se a companhia aérea TAM , com valorização
de 3,4 por cento, a 38,58 reais, e a construtora Cyrela
, com ganho de 2,6 por cento, a 24,11 reais.

Na outra ponta, a ação da Fibria caía 0,3 por
cento, para 29,88 reais.

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Aluísio Alves)