BOVESPA-Índice segue viés externo positivo em dia de giro fraco

SÃO PAULO, 11 de outubro (Reuters) – O principal índice da
bolsa brasileira operava em leve alta nesta segunda-feira, em
dia de liquidez reduzida devido a feriados no Brasil e nos
Estados Unidos, com o ambiente se mantendo menos turbulento e
propiciando um viés positivo.

Às 11h47, o Ibovespa subia 0,28 por cento, para
71.003 pontos. O volume financeiro era de 970 milhões de reais.
Na sessão anterior o índice havia fechado em alta de 1,27 por
cento, ajudado pelo cenário externo.

O dia deve ter volume muito abaixo da média, devido ao
feriado de Columbus Day, que fecha o mercado norte-americano de
bônus, embora Wall Street opere normalmente. Amparados pela
perspectiva de que o Federal Reserve anuncie novas medidas para
estimular a economia, o Dow Jones , o S&P e o
Nasdaq ganhavam entre 0,1 e 0,2 por cento.

O principal índice europeu também subia, em meio à
expectativa por Fed e aops ganhos de papéis de montadoras.

“O ambiente é ameno, refletindo o recuo da aversão a risco
nos últimos dias, embora os dados econômicos permaneçam fracos,
os temores de uma nova recessão no mundo desenvolvido têm
recuado”, disse a corretora Schain em relatório desta manhã.

O fator doméstico de desaceleração dos negócios é o feriado
de Nossa Senhora Aparecida, na terça-feira.

No Ibovespa, a maior alta era a construtora Brookfield
, que subia 2,5 por cento, para 9,65 reais. Na
sexta-feira a empresa divulgou os números de vendas contratadas
no teceiro trimestre, com alta registrada de 32 por cento sobre
um ano antes.

A corretora do Itaú apontou em relatório que os números
foram positivos, “com um sólido desempenho no segmento
residencial compensando os fracos números registrados no
trimestre anterior”.

Em termos de volume seguia-se o habitual, com Vale e
Petrobras sendo as mais negociadas. As preferenciais da
mineradora ganhavam 0,7 por cento, a 47,62 reais,
enquanto as ordinárias subiam 0,8 por cento, para
53,72 reais, após o UBS reduziu se preço-alvo e recomendação
para os ADRs ON da empresa.

Enquanto isso, as preferenciais da petrolífera
subiam 0,4 por cento, para 26,11 reais.

(Reportagem de Rodolfo Barbosa; Edição de Aluísio Alves)