Bovespa abre perto da estabilidade com exterior negativo

A notícia de que o Banco Central decretou intervenção no Banco BVA traz preocupação para o setor financeiro

São Paulo – As perdas verificadas no exterior, após balanços corporativos considerados ruins nos Estados Unidos e em meio à cúpula de líderes europeus, trazem um viés de baixa para a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que, porém, abriu o dia muito próxima da estabilidade. E a notícia de que o Banco Central decretou intervenção no Banco BVA na manhã desta sexta-feira também traz preocupação para o setor. Embora o BVA não esteja listado em Bolsa, a intervenção deve se refletir nos bancos menores que estão na Bovespa e operadores não descartam uma pressão maior sobre as grandes instituições.

Às 10h06 (horário de Brasília), o Ibovespa à vista já registrava leve ganho de 0,13%, aos 59.814 pontos. Em Nova York, o S&P futuro tinha baixa de 0,17% e o Nasdaq futuro caía 0,20%. Na Europa, onde os índices à vista já operam, a Bolsa de Londres caía 0,09%, Paris recuava 0,47%, Frankfurt tinha baixa de 0,52%, Madri cedia 1,56% e Milão tinha baixa de 1,27%.

“No exterior os índices estão caindo e aqui o Banco Central decretou intervenção em mais um banco. Isso pode fazer os bancos grandes listados em Bolsa também sentirem um pouco, muito em função do momento do mercado hoje”, comentou um operador ouvido pela Agência Estado. De acordo com o BC, a intervenção no BVA ocorreu devido ao “comprometimento da situação econômico-financeira e ao descumprimento de normas que disciplinam a atividade da instituição”.

A trajetória do Ibovespa à vista ao longo do dia, porém, dependerá do humor em Nova York. O operador lembra que a Bolsa brasileira tem tido dificuldades para superar os 60 mil pontos e se manter acima deste patamar – um nível gráfico importante para o índice. Nesta sexta-feira o indicador pode novamente tentar avançar. “Os 60 mil pontos são um número mágico. A gente percebe que, quando o Ibovespa chega nele, há uma pressão de baixa”, afirma o profissional.

No exterior, os resultados do Google e da Microsoft, que nesta quinta-feira (17) informaram lucros menores no terceiro trimestre fiscal, pressionam os principais índices de ações na Europa e os futuros nos Estados Unidos. Já a General Electric divulgou hoje um líquido de US$ 3,5 bilhões no terceiro trimestre, enquanto o McDonald’s teve queda de 3,5% em seu lucro no período.

Na cúpula da zona do euro, encerrada hoje, a chanceler alemã, Angela Merkel, disse que uma recapitalização bancária direta só será possível após o supervisor único para a zona do euro estiver operando. Além disso, afirmou que a Grécia ainda tem um caminho a percorrer para cumprir suas obrigações. Já o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, disse que a união bancária da UE será aprovada ainda em 2012.