Bovespa abre em queda, mas aguarda Grécia e Fed

Bolsa brasileira aguarda novidades do mercado financeiro no pregão de hoje, abrindo em baixa

São Paulo – A cautela que predomina no exterior influencia a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nesta quarta-feira, mas não define um rumo claro para a sessão. Em meio à expectativa em relação aos diálogos entre a Grécia e as autoridades da zona do euro, as principais bolsas europeias recuam nesta manhã, assim como os futuros em Nova York. À tarde, o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) divulga a ata de sua reunião mais recente, o que pode trazer pistas sobre os próximos passos da autoridade monetária. Neste cenário, o Ibovespa abriu em baixa, à espera de novidades.

Às 10h15 (horário de Brasília), o Ibovespa recuava 0,21%, aos 58.795,05 pontos. Em Nova York, o S&P futuro tinha baixa de 0,34%, enquanto o Nasdaq futuro recuava 0,25%. Na Europa, onde os índices à vista já operam, a Bolsa de Londres recuava 1,24%, a Bolsa de Paris tinha baixa de 1,05%, a Bolsa de Frankfurt caía 1,06% e a Bolsa de Madri tinha baixa de 2,12%.

Nesta quarta-feira, o primeiro primeiro-ministro da Grécia, Antonis Samaras, reúne-se com o presidente do grupo de ministros de Finanças da zona do euro (Eurogrupo), Jean-Claude Juncker, para discutir a crise no país. Em entrevista a um jornal alemão, Samara pediu mais tempo para fazer cortes de gastos e reformas para levantar a Grécia. “Tudo o que queremos é um pequeno espaço para respirar, para reavivar a economia rapidamente e ampliar a renda estatal”, afirmou. Na sexta-feira, o primeiro-ministro grego se reúne com a premiê alemã, Angela Merkel.

“Por enquanto, a Bovespa opta pela cautela. Nenhum dado relevante foi divulgado e o exterior aproveita para realizar lucros”, comentou um operador ouvido pela Agência Estado. Segundo ele, segue como barreira de alta importante para o Ibovespa à vista o patamar próximo dos 60 mil pontos – que chegou a ser superado na terça-feira, no início do dia, mas não se sustentou. O estrategista da SLW, Pedro Galdi, afirma que o mercado vai observar principalmente as notícias sobre a Alemanha, que “parece estar mais disposta a ceder para a Grécia”. “A tendência para o Ibovespa (à vista) é abrir em baixa”, acrescentou Galdi.

A tendência de baixa, no entanto, pode se inverter, dependendo dos indicadores externos. Nos EUA, o destaque é a divulgação da ata da reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), nesta quarta-feira à tarde. Se sinalizar a tendência de injeção de mais liquidez no mercado, o rumo dos indicadores de ações pode mudar ao redor do mundo. A agenda americana prevê ainda dados de vendas de moradias usadas em julho (11 horas) e de estoques de petróleo na semana até 17 de agosto (11h30).

No Brasil, o diretor de Gás e Energia da Petrobras, José Alcides Santoro, participa de entrevista coletiva sobre investimentos da área de Gás e Energia no âmbito do Plano de Negócios 2012-2016. O evento está marcado para as 14 horas.