Bovespa abre em baixa pressionada por commodities

Por Olívia Bulla

São Paulo – O mesmo fator que garantiu leves ganhos à Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) ontem abre espaço para uma realização de lucros na sessão de hoje. A queda das commodities nesta manhã pressiona as ações de empresas brasileiras exportadoras de matérias-primas, intensificando o sinal negativo observado nos mercados internacionais. No Brasil, o receio de uma eventual nova medida para conter a alta do real diminuiu, pelo menos no curto prazo. Às 11h07 (horário de Brasília), o índice Bovespa (Ibovespa) recuava 0,74%, para 69.065 pontos.

Segundo especialistas, os mercados globais estão à espera da reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) na semana que vem, quando devem ser anunciados os detalhes de uma nova rodada de estímulos econômicos no país. O analista do Banco Modal, Eduardo Roche, lembra que boa parte do afrouxamento quantitativo esperado já está previsto nos preços dos ativos, o que abre espaço para ajustes enquanto as medidas não vêm.

A agenda econômica dos EUA e a safra de balanços pautam os negócios do dia. Logo mais, às 12 horas (horário de Brasília), o Conference Board divulga o índice de confiança do consumidor neste mês. Na safra de balanços, destaques para as previsões cautelosas da ArcelorMittal, a maior siderúrgica do mundo, sobre o atual trimestre, apesar do aumento do lucro líquido da companhia no trimestre passado.

A Bovespa também busca hoje uma dinâmica própria com a temporada brasileira de balanços, que começa a ganhar contornos com apresentação de dados do Banco Daycoval, das Indústrias Romi e da Lojas Marisa.