Bolsas globais recuam com aumento dos temores de recessão

Rendimentos de títulos americanos de dois anos superaram os de 10 anos pela primeira vez desde 2007; métrica é vista como sinal clássico de recessão

Os principais índices de Wall Street recuavam acentuadamente nesta quarta-feira (14) à medida que um importante indicador do mercado de títulos dos Estados Unidos apontava risco de recessão após dados econômicos fracos de Alemanha e China.

Às 15:25 (horário de Brasília), o índice Dow Jones caía 2,60%, a 25.595 pontos, enquanto o S&P 500 perdia 2,53%, a 2.852 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuava 2,79%, a 7.790 pontos.

Os rendimentos das notas de dois anos subiram acima do rendimento dos títulos de 10 anos pela primeira vez desde 2007. A métrica é amplamente vista como um sinal clássico de recessão.

O setor bancário, altamente sensível à taxa de juros recuava 2,50%, e o setor financeiro em geral caía 1,95% em resposta. O setor de tecnologia, de alto crescimento, também foi bastante atingido. As ações da Apple caíam 1,74% após terem impulsionado os mercados um dia antes com uma alta de 4%. Os fabricantes de chips também estavam em baixa, com o índice de chips da Filadélfia caindo 2,09%.

Impactos globais

A queda nas exportações fez a economia da Alemanha contrair 0,1% no segundo trimestre. Em julho, o crescimento da industria chinesa desacelerou ao menor ritmo em mais de 17 anos , colocando o foco novamente nos impactos globais da guerra comercial entre Estados Unidos e China.

Nesta quarta-feira, as ações europeias caíram para o nível mais baixo em seis meses, uma vez que a inversão na curva dos rendimentos dos títulos públicos americanos e dados fracos de Alemanha e China apontam para uma recessão iminente.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 1,62%, a 1.442 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 1,68%, a 366 pontos, tendo atingido seu nível mais baixo desde 15 de fevereiro, com os índices da Alemanha, França e Itália caindo mais de 2%.

O cenário externo também impactou fortemente os mercados emergentes. Às 16:03, o Ibovespa caia 3,07%, a 100.124 pontos. Por volta desse mesmo horário os principais índices das bolsas argentina e mexicana vinham em queda de 3,04% e 2,10%, respectivamente.

Destaques

Em Londres, o índice Financial Times recuou 1,42%, a 7.147 pontos.

Em Frankfurt, o índice DAX caiu 2,19%, a 11.492 pontos.

Em Paris, o índice CAC-40 perdeu 2,08%, a 5.251 pontos.

Em Milão, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 2,53%, a 20.020 pontos.

Em Madri, o índice Ibex-35 registrou baixa de 1,98%, a 8.522 pontos.

Em Lisboa, o índice PSI20 desvalorizou-se 1,55%, a 4.750 pontos.