Bolsas europeias sobem, mas de olho ainda nos EUA

Segundo o Barclays, os mercados estão incertos sobre o impacto da paralisação

Londres – As bolsas europeias avançam nesta sexta-feira, 4, depois de iniciar o pregão em leve queda, em um dia de poucos indicadores para os investidores avaliarem. Com a falta de novidades, o foco do mercado continua no impasse fiscal dos Estados Unidos, onde a paralisação parcial do governo federal já entra no quarto dia, e em declarações de membros do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).

“Os mercados estão incertos sobre o impacto da paralisação”, disseram os estrategistas do Barclays. O principal indicador para o dia, o relatório de emprego dos EUA para setembro, foi cancelado devido à paralisação do governo. Cerca de 800 mil funcionários públicos do país estão sob licença.

Enquanto democratas e republicanos não chegam a um acordo sobre a política de gastos do governo, travando as negociações para aprovar o Orçamento de 2014 e para elevar o teto da dívida, o grande destaque hoje nos EUA serão as declarações de vários membros do Fed, em especial de dois membros com direito a voto no Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) que falam nesta manhã: William Dudley, presidente do Fed de Nova York, e Jeremy Stein, diretor do Fed. O primeiro discursa às 10h15 (de Brasília) e o segundo, às 10h30.

Na Europa, o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da zona do euro ficou estável em agosto ante julho e caiu 0,8% em relação a um ano antes. Analistas consultados pela Dow Jones projetavam uma leve alta de 0,1% na passagem mensal e queda de 0,5% na comparação anual.


Também ganha destaque no noticiário local a ausência do ex-premiê italiano Silvio Berlusconi em uma audiência da comissão do Senado para protestar contra uma possível indicação pela sua cassação. O grupo do Senado deve recomendar que a Casa vote pela expulsão do magnata da mídia e líder de centro-direita, com base em uma lei de 2012 de combate à corrupção, segundo a Ansa. O Senado italiano deve decidir na próxima sexta-feira se Berlusconi manterá o seu lugar no Parlamento, após sua recente condenação por fraude fiscal.

O Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) também não trouxe novidades ao mercado, mantendo a taxa básica de juro pela sétima vez consecutiva, o que também contribui para um pregão sem grandes oscilações.

No cenário corporativo, as ações da Telecom Italia recuam 0,62% na bolsa de Milão, após a troca do presidente da empresa. Ontem, a companhia anunciou a substituição de Franco Bernabè, enquanto Marco Patuano assumiu o comando temporariamente, até que se encontre um novo nome para o cargo.

Os papéis da Deutsche Telekom também ganham em Frankfurt e avançam 1,99%, guiados pela elevação de recomendação pelos analistas da UBS. A indicação passou de neutra para compra.

A bolsa de Milão se destaca entre as negociações europeias, sendo que o índice FTSE Mib é impulsionado pela valorização das ações do setor bancário. As ações da Banca Popolare di Milano avançam 4,59%, seguidas pela alta de 2,39% nas ações da Intesa Sanpaolo.

Às 7h58 (horário de Brasília), todos os principais mercados europeus operava em alta: Londres subia 0,17%, Frankfurt ganhava 0,06%, Paris ganhava 0,58%, Madri avançava 0,64%, Lisboa valorizava 0,16% e, na liderança dos ganhos, o principal índice da bolsa de Milão registrava alta de 1,39%. Fonte: Dow Jones Newswires.