Bolsas europeias sobem com trégua na aversão ao risco

Alívio nas tensões geopolíticas ocorreu após notícias de que a Organização das Nações Unidas conduzirá uma investigação sobre a queda do avião malaio

São Paulo – As bolsas europeias fecharam em alta nesta terça-feira, 22, em uma sessão marcada pela trégua na aversão ao risco causada por questões geopolíticas.

A expectativa sobre anúncios de resultados previstos para os próximos dias também contribuiu para o otimismo. O índice Stoxx 600 subiu 1,33% e terminou a 342,44 pontos.

O alívio nas tensões geopolíticas ocorreu após as notícias de que a Organização das Nações Unidas (ONU) conduzirá um investigação independente sobre a queda do avião da Malaysia Airlines e que os separatistas pró-Rússia estão dispostos a deixar os peritos trabalharem no local da tragédia na Ucrânia, além entregar ao governo malaio as caixas pretas da aeronave.

Contudo, a União Europeia (UE) decidiu pela imposição de uma nova rodada de sanções contra a Rússia, o que ainda pode azedar o humor dos investidores nos próximos dias.

No noticiário corporativo, as ações do Banco Espírito Santo (BES) subiram 2,70% na Bolsa de Lisboa após a sinalização de que o Bradesco pode estudar eventual reforço de capital no banco português.

Ontem, o presidente do conselho de administração do Bradesco, Lázaro Brandão, disse que um novo aporte de capital dos sócios “faz sentido”, mas a operação teria de ser avaliada.

O índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, se valorizou 1,14% e fechou a 6.273,64 pontos. Em Madri, o Ibex 35 ganhou 1,59%, para 10.648,90 pontos.

Em Paris, o CAC-40 subiu 1,50% e encerrou a 4.369,52 pontos. As ações da Technip subiram 3,96% depois que o Credit Suisse divulgou relatório indicando perspectiva de alta para os papéis.

Investidores também compraram ações da Airbus (+2,58%), que deve divulgar resultados esta semana. As ações da Publicis cederam 4,69% após a companhia reportar lucros abaixo do esperado no segundo trimestre.

Na Bolsa de Londres, o FTSE 100 avançou 0,99%, para 6.795,34 pontos. A ARM Holdings subiu 5,70%, com lucros acima do previsto no segundo trimestre. Compras de oportunidade também contribuíram para a valorização do papel. O Royal Mail caiu 3,43%, pressionado pela perspectiva de aumento da concorrência no mercado de encomendas.

O DAX, da Bolsa de Frankfurt, fechou com valorização de 1,27%, para 9.734,33 pontos. O índice voltou a repercutir a elevação anunciada ontem pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) da projeção de crescimento da Alemanha em 2014 de 1,7% para 1,9%. Empresas de setores cíclicos foram beneficiadas. A Infineon subiu 2,34%, a Siemens avançou 2,20% e a Continental se valorizou 2,10%.

Em Milão, o FTSE Mib subiu 2,16% e encerrou a 20.873,50 pontos. Saipem subiu 4,15% principalmente devido à especulação de que a controladora da empresa, Eni (+2,44%), pode vender suas ações.

O CEO da Eni, Claudio Descalzi, deve delinear parte da estratégia da empresa no anúncio dos resultados do segundo trimestre no fim de julho. Entre as quedas, Mediaset perdeu 0,76%.

Com informações da Dow Jones Newswires