Bolsas europeias recuam pressionadas por bancos

Londres – As bolsas da Europa fecharam em queda hoje, pressionadas principalmente pelas ações de bancos, enquanto as autoridades ainda tentam resolver a crise de dívida da zona do euro. As perdas se acentuaram após o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Ben Bernanke, afirmar que ainda não é o momento de lançar uma nova rodada de estímulo para a economia norte-americana. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,8%, aos 267,68 pontos.

A Itália ficou novamente no centro das atenções, em razão do aumento nos custos de financiamento do país, verificado em um leilão de bônus. “O leilão italiano de hoje foi relativamente bem sucedido se você olhar para ele sob o ângulo de que o país foi capaz de ter acesso ao mercado”, comentou Steen Jakobsen, economista-chefe do Saxo Bank. No entanto, o yield (retorno ao investidor) foi mais alto do que em leilões anteriores.

O índice FTSE MIB da Bolsa de Milão caiu 1,07%, para 18.640,35 pontos. As ações da seguradora Assicurazioni Generali recuaram 2,4% e as do banco Intesa Sanpaolo caíram 2,1%. O yield mais alto no leilão italiano reforçou as preocupações com a crise de dívida soberana europeia e pesou especialmente sobre o setor financeiro.

Commerzbank fechou em baixa de 4,4% em Frankfurt, onde o índice DAX cedeu 0,73%, para 7.214,74 pontos. Software AG teve a maior baixa na bolsa alemã, de mais de 16%, depois de informar na noite de ontem que sua receita no segundo trimestre fiscal diminuiu em comparação com o mesmo período do ano passado, em razão da valorização do euro.

Em Londres, o índice FT-100 terminou a sessão em queda de 1,01%, a 5.846,95 pontos, com as ações da prestadora de serviços para campos de petróleo Petrofac em baixa de 3,8%. A empresa teve a recomendação para suas ações rebaixada de “equalweight” (estável) para “underweight” (abaixo da média de mercado) pelo Barclays Capital. A mineradora Fresnillo, por outro lado, disparou 4,9% e foi a maior ganhadora do índice, após anunciar produção recorde de prata e ouro.

O índice CAC-40 de Paris caiu 1,11%, para 3.751,23 pontos, com a empresa de equipamentos de telecomunicações Alcatel-Lucent recuando 4,5%. Os bancos franceses também tiveram queda expressiva hoje, em meio às preocupações com a crise europeia e às expectativas com os resultados dos testes de estresse, que serão divulgados amanhã. Credit Agricole caiu 2,4%, Société Générale recuou 1,3% e BNP Paribas perdeu 1%.

Entre outras bolsas europeias importantes, o índice PSI-20 de Lisboa caiu 2,04%, para 6.761,01 pontos, e o Ibex-35 de Madri declinou 0,71%, para 9.598,60 pontos. As informações são da Dow Jones.