Bolsas europeias fecham sem direção única

Depois de abrirem sessão em queda, índices de ações se recuperaram com ajuda de um avanço nos papéis do setor bancário e de indicadores econômicos bons nos EUA

São Paulo – As bolsas europeias fecharam em direções divergentes nesta terça-feira, ainda afetadas pelas preocupações com o crescimento da economia global.

Depois de abrirem a sessão em queda, os índices de ações se recuperaram com ajuda de um avanço nos papéis do setor bancário e de indicadores econômicos bons nos EUA. O índice Stoxx Europe 600 fechou em queda de 0,20%, a 317,58 pontos.

Os últimos números de inflação da zona do euro divulgados hoje trouxeram algum alívio e reduziram os temores de que a região esteja caminhando para uma deflação. Dados publicados no começo da manhã mostraram que o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) do bloco teve queda anual de 0,8% em dezembro, menor que o recuo de 0,9% previsto por analistas. Frente a novembro, o PPI avançou 0,2%, em linha com o esperado.

A Espanha também emitiu novos números positivos sobre o mercado de trabalho. O número de pedidos de auxílio-desemprego subiu em janeiro no ritmo mais lento para o mês desde 2007. Ao todo, o número de solicitações cresceu 113 mil no mês passado. Com ajuste sazonal, o volume recuou em 3,9 mil.

Desde o início da manhã, os futuros de Nova York já indicavam uma alta das bolsas e influenciavam a Europa. Após a abertura, dados econômicos positivos nos EUA colaboraram para a ampliação dos ganhos dos índices europeus. O índice de condições empresariais da região de Nova York subiu para 64,4 em janeiro, enquanto as encomendas à indústria norte-americana diminuíram 1,5% em dezembro, menos do que a queda de 1,8% prevista.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 teve alta de 0,24%, fechando a 4.117,45 pontos, impulsionado pelos papéis do setor bancário, após o balanço do banco suíço UBS apresentar um lucro acima do esperado pelo mercado. Entre os ganhos, Société Générale subiu 3,04% e Crédit Agricole avançou 2,63%.

O índice DAX de Frankfurt caiu 0,64%, a 9.127,91 pontos. Segundo operadores, a queda foi influenciada pela desconfiança dos investidores com a economia global. Destaque para as perdas da resseguradora Munich Re (-1,14%), apesar de um aumento no lucro do quarto trimestre.

Em Londres, o índice FTSE-100, encerrou com queda de 0,25%, a 6.449,27 pontos, pressionado pela baixa de 1,60% nos papéis do Vodafone Group.

A Bolsa de Lisboa teve a maior alta do pregão, de 1,58%, para 6.707,53 pontos, influenciada pelo ganho de 11,81% dos papéis do Banco Comercial Português (BCP), após o anúncio ontem de que houve redução no prejuízo do banco no quarto trimestre do ano passado na comparação com o mesmo período de 2012.

O índice FTSE-Mib, da Bolsa de Milão, encerrou com alta de 0,60%, a 19.019,71 pontos. A Bolsa de Madri fechou com ganho de 0,30%, a 9.754,30 pontos. (Mateus Fagundes, com informações da Dow Jones Newswires – mateus.fagundes@estadao.com)