Bolsas europeias fecham em queda nesta sexta-feira

Economia britânica voltou ao nível de antes do estouro da crise financeira de 2008, mas notícia não comoveu os investidores

São Paulo – As bolsas da Europa encerraram o pregão desta sexta-feira em queda, influenciadas por dados econômicos dos países e pela divulgação de balanços de empresas listadas. Na semana, porém, a maior parte dos mercados registrou alta.

Em Londres, a notícia de que a economia britânica voltou ao tamanho que tinha antes do estouro da crise financeira iniciada há seis anos não comoveu os investidores.

O Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido aumentou 0,8% entre o primeiro e o segundo trimestres, levando a economia a patamar 0,2% maior que no início de 2008.

Ainda assim, índice FTSE fechou com retração de 0,44%, aos 6.791,55 pontos, reagindo à queda de mais de 5% nas ações da BSkyB. A rede britânica de mídia e telecomunicações informou que estaria disposta a pagar 4,9 bilhões de libras (US$ 8,3 bilhões) pela Sky Italia e por uma fatia de 57,4% da Sky Deutschland.

Por outro lado, as ações do Royal Bank of Scotland saltaram mais de 10% depois que o banco informou que seu lucro operacional subiu no segundo trimestre e que os créditos inadimplentes no ano poderão ser menores que o previsto.

Na semana, a bolsa de Londres acumulou alta de 0,62%, desempenho que contrasta com a queda de 0,78% registrada pela bolsa de Frankfurt.

O resultado negativo teve a contribuição do recuo de 1,53% no índice DAX na sessão de hoje, para 9.644,01 pontos, em reflexo à redução da confiança das companhias alemãs.

O instituto Ifo informou hoje que o índice de sentimento das empresas da Alemanha caiu para 108,0 em julho, de 109,7 em junho. O mau humor do mercado ainda foi impulsionado pelo alerta do instituto GfK de que a queda do voo MH17 da Malaysia Airlines pode enfraquecer o sentimento do consumidor nos próximos meses.

Em Paris, o CAC-40 caiu 1,82%, para 4.330,55 pontos, levado pela desvalorização de 5,71% nas ações da gigante de luxo LVMH. Os resultados do primeiro semestre da companhia desapontaram os investidores, que se mostraram temerosos de enfraquecimento da demanda nos próximos meses. Na semana, o CAC-40 recuou 0,11%.

A bolsa de Milão também contabilizou retração acentuada no pregão de hoje. A queda do FTSE-MIB foi de 0,90%, para 21.063,31 pontos, com as ações da Banca Popolare dell’Emilia recuando 3,03%, acompanhadas pelos papéis da Mediaset, que baixaram 2,92% diante da oferta da BSkyB pela Sky Italia. Na semana, entretanto, a bolsa italiana avançou 1,69%.

Já na Bolsa de Lisboa, o PSI-20 caiu 0,28% na sessão de hoje, para 6.449,68 pontos, mas subiu 4,03% na semana. As ações do Banco Espírito Santo (BES) recuam 7,60% neste pregão, após o Espírito Santo Financial Group SA (ESFG), que controla 20% do banco, pedir concordata em Luxemburgo.

Na contramão do mercado, a bolsa de Madri subiu 0,25% hoje, fechando aos 10.888,10 pontos. O índice Ibex-35 acumulou elevação de 3,43% na semana.

Com informações da Dow Jones Newswires