Bolsas europeias fecham em queda com corte da Grécia

Londres – As bolsas europeias fecharam com quedas significativas nesta quinta-feira, pressionadas pelo mais recente rebaixamento do rating da Grécia e por uma série de indicadores econômicos que apontaram para uma desaceleração da economia global. O índice Stoxx Europe 600 encerrou o dia em baixa de 1,3%, para 274,70.

A Moody’s rebaixou ontem o rating da Grécia de B1 para Caa1, com perspectiva negativa. A classificação “Caa” é considerada de pouca qualidade e como indicação de uma possibilidade de não pagamento da dívida (default). Segundo a Moody’s, o risco de default da Grécia em um horizonte de cinco anos é de 50%.

Reportagens afirmaram que a Grécia vai apresentar um novo plano de austeridade amanhã, quando terminarem as conversas entre o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Central Europeu (BCE) e a União Europeia. O governo grego deverá chegar a um acordo para medidas no valor de 6,4 bilhões de euros (US$ 9,2 bilhões) destinadas a reduzir o déficit do país, de acordo com a Reuters.

Mas Frances Hudson, estrategista do Standard Life, afirmou que, mais do que o rebaixamento da Grécia, o mercado reagiu aos dados fracos sobre a atividade industrial divulgados ontem na zona do euro, nos EUA, na China e no Reino Unido. Os índices dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) dessas regiões caíram, o que levantou preocupações com a recuperação da economia global.

Uma notícia positiva hoje saiu da Espanha, que realizou um leilão de bônus que atraiu forte demanda. No entanto, o sentimento dos investidores permaneceu pessimista. Ações ligadas a recursos naturais ficaram entre as maiores quedas da sessão, acompanhando o recuo dos preços das commodities. Em Londres, BP caiu 2,3% e em Paris, Total perdeu 2,4%.

O índice DAX de Frankfurt caiu 1,99%, para 7.074,12 pontos. No setor de tecnologia, Infineon Technologies recuou 2,4% e SAP perdeu 2,1%.

Em Paris, o índice CAC-40 terminou o dia em baixa de 1,89%, aos 3.889,87 pontos. Alcatel-Lucent liderou as quedas, com -3,9%. Entre os bancos, BNP Paribas declinou 2,6%.

A Bolsa de Londres foi mais pressionada por ações ligadas a recursos básicos, varejo e finanças, que levaram o índice FT-100 a cair 1,36%, para 5.847,92 pontos. Rio Tinto recuou 2,6% e Antofagasta cedeu 3,1%. No setor bancário, Lloyds Banking caiu 3% e Legal & General Group perdeu 2,5%.

Entre outras bolsas da Europa, o índice Ibex-35 caiu 0,76%, para 10.261,00 pontos, e o FTSE MIB de Milão cedeu 0,79%, para 20.700,93 pontos, enquanto o PSI-20 de Lisboa subiu 0,57%, para 7.507,84 pontos. As informações são da Dow Jones.