Bolsas europeias fecham em alta, com estímulo da China

O anúncio de que o governo chinês vai implementar uma política fiscal "mais vigorosa" estimulou as bolsas eruopeias

São Paulo – As bolsas da Europa encerraram o pregão desta quarta-feira, 9, em alta, impulsionadas pelo anúncio de medidas de estímulo pela China. O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 1,33%, para 363,77 pontos.

O governo da China anunciou que vai implementar uma política fiscal “mais vigorosa”, incluindo a destinação de mais recursos para apoiar projetos de infraestrutura, o estímulo de parcerias público-privadas (PPPs) e a promoção de cortes de impostos para pequenas empresas, entre outras medidas.

Esse anúncio deu fôlego aos mercados europeus, que já estavam animados com a forte alta da bolsa de Tóquio (+7,7%), que subiu na esteira da perspectiva do anúncio de medidas de estímulo pelo gabinete do Japão.

No entanto, as negociações na Europa perderam fôlego no final da manhã, após a abertura das bolsas de Nova York. Em Wall Street, a possibilidade de o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) subir juros na reunião da próxima semana pesou sobre o sentimento dos investidores, fazendo com que as bolsas operem próximo da estabilidade.

A praça italiana foi a que melhor refletiu esse sentimento do investidor europeu. A bolsa de Milão abriu em alta de quase 2% e assim permaneceu durante boa parte da sessão. Nas horas finais, os ganhos foram reduzidos e o índice FTSE-MIB terminou na mínima aos 22.126,57 pontos (+0,84%).

O índice CAC-40, da bolsa de Paris, subiu 1,44%, para 4.664,59 pontos. As ações de empresas ligadas ao setor automotivo – altamente expostas à China – lideraram os ganhos: Valeo saltou 3,38% e Renault avançou 2,75%.

A alta dos papéis de montadoras também foram destaque na sessão na Alemanha. As ações da BMW subiram 1,78% e as da Volkswagen avançaram 1,68%. A bolsa de Frankfurt terminou com ganho de 0,31%, aos 10.303,12 pontos.

O bom desempenho das ações de mineradoras fez com que o índice FTSE-100, da bolsa de Londres, subisse 1,35% na sessão, para 6.229,01 pontos. Os papéis da Glencore tiveram alta de 4,80% e os da Anglo American avançaram 5,54%.

A bolsa de Madri fechou em alta de 1,74%, aos 10.037,80 pontos, e a de Lisboa subiu 0,35%, para 5.088,86 pontos.