Bolsas europeias caem por decepção com atividade empresarial

Pesquisa mostrou que o crescimento no setor privado da Alemanha desacelerou e a atividade empresarial na França praticamente não cresceu em abril

Londres – Os índices europeus devolveram ganhos do começo da sessão nesta quinta-feira depois que uma pesquisa mostrou que o crescimento no setor privado da Alemanha desacelerou e a atividade empresarial na França praticamente não cresceu em abril.

Após abrir em alta com algumas notícias positivas de empresas, às 8h11 (horário de Brasília), o índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 tinha queda de 0,64 por cento, a 1.617 pontos, depois da divulgação do Índice de Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) preliminar composto para a Alemanha.

O índice PMI alemão caiu para 54,2 ante a máxima de oito meses de 55,4 em março.

O PMI da França mostrou uma expansão mais lenta que a prevista no setor de serviços e uma contração mais rápida que o esperado na atividade industrial.

Outra pesquisa mostrou que a atividade industrial na China, maior consumidor de metais do mundo, contraiu ao ritmo mais rápido em um ano em abril, atingindo particularmente as ações de mineração.

O índice de recursos básicos do Stoxx Europe 600 caía 1,3 por cento.

Notícias negativas de empresas aumentavam a pressão sobre os mercados.

O papel da fabricante de equipamento para telecomunicações móveis Ericsson tinha queda de 12,6 por cento após a empresa dizer que espera que as vendas em seu principal mercado da América do Norte continuem lentas e divulgar lucro operacional abaixo das expectativas para o primeiro trimestre.

As ações da empresa alemã de serviços de construção Bilfinger despencavam 15,8 por cento após a companhia emitir o quinto alerta de lucro em menos de um ano na quarta-feira, dizendo que o negócio de petróleo e gás nos Estados Unidos está numa situação pior que a esperada e que a demanda no negócio de usinas de eletricidade permanece fraca.