Bolsas da Ásia têm alta com dados de EUA e China

Os dados favoráveis do setor manufatureiro dos EUA e da China melhoraram o sentimento do investidor

Tóquio – As Bolsas da Ásia terminaram em alta, otimistas com os dados favoráveis do setor manufatureiro dos EUA e da China melhorando o sentimento do investidor.

A Bolsa de Hong Kong fechou em alta, com os dados EUA e China restaurando um pouco da confiança do investidor na economia global, e os papéis de empresas sensíveis às exportações se destacando. O índice Hang Seng subiu 1,02% e terminou aos 21.309,08 pontos, maior alta em seis semanas, desde os 21.317 de 16 de março.

As Bolsas da China tiveram a maior alta em sete semanas, com os investidores recebendo bem a decisão do órgão regulador do setor securitário de baixar em 25% as taxas de negócios a partir de 1º de junho e os dados do setor manufatureiro indicando maior incremento da economia. O índice Xangai Composto subiu 1,8% e fechou aos 2.438,44 pontos e o Shenzhen Composto, 1,7%, para 956,23 pontos.

O yuan teve alta ante o dólar depois de o banco central conduzir a moeda para elevação recorde pela terceira sessão seguida por meio de sua taxa de referência diária, uma vez que a pressão política para permitir a apreciação do câmbio intensificou-se antes das conversações de alto nível entre China e EUA. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,3070 yuans, de 6,3102 yuans sexta-feira (o mercado chinês fechou segunda e terça-feira pelo feriado do Dia do Trabalho). A taxa de paridade central dólar-yuan foi fixada em 6,2670 yuans, de 6,2787 yuans sexta-feira.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé fechou em seu patamar mais alto desde 16 de abril, com o mercado se recuperando do plano recente do governo para elevar os preços de energia. O índice Taiwan Weighted subiu 2,33% e terminou aos 7.676,81 pontos.

A Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, também encerrou em alta, seguindo os ganhos dos mercados regionais após os dados otimistas da produção industrial americana. O índice Kospi avançou 0,86% e fechou aos 1.999,07 pontos.

Na Austrália, a Bolsa de Sydney fechou em leve alta, com o resultado decepcionante do primeiro semestre do ANZ pesando sobre os bancos. Ao mesmo tempo, as mineradoras se destacaram após a produção industrial nos EUA superar as expectativas. O índice S&P/ASX 200 avançou apenas 0,14% e encerrou aos 4.435,90 pontos.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, também se beneficiou da alta em Wall Street e dos ganhos nos demais mercados regionais, em meio aos bons resultados corporativos do primeiro trimestre das empresas locais. O índice PSE subiu 0,5% e terminou aos 5.228,84 pontos.

A Bolsa de Cingapura fechou acima do patamar psicológico de 3 mil pontos pela primeira vez desde 19 de abril. O índice Straits Times subiu 0,9% e fechou aos 3.006,14 pontos.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, teve alta de 0,9% e terminou aos 1.239,06 pontos, com ganhos capitaneados por papéis dos setores de energia e petroquímico, devido a expectativas de fortes resultados trimestrais.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, avançou 0,6% e terminou aos 4.219,29 pontos, na esteira das pares regionais.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, ganhou 0,8% e encerrou aos 1.582,39, também seguindo as altas nas demais asiáticas. As informações são da Dow Jones