Bolsas da Ásia ficam estáveis após rali de 5 dias

Hong Kong – As principais bolsas de valores asiáticas ficaram estáveis e próximas da sua máxima em um mês nesta terça-feira, conforme participantes do mercado fizeram uma pausa após cinco dias consecutivos de ganhos.

As expectativas de uma desaceleração moderada na Ásia, em vez de um cenário “de dura aterrissagem”, que pressionará as taxas de inflação para baixo, têm atraído fluxos de capital e aumentado apostas em uma recuperação nas ações no segundo semestre. Alguns mercados, porém, particularmente o do Japão, podem estar prestes a uma realização de lucros após saltar 4 por cento em cinco sessões.

Ativos de risco foram afetados ao redor do mundo no primeiro semestre por temores que iam desde a ascendente inflação na Ásia, a crise nuclear no Japão até o aumento nos preços das commodities e o impacto do fim do afrouxamento monetário nos Estados Unidos.

Nesta terça-feira, porém, os mercados acionários na Austrália e no Japão, se mostraram estáveis com, respectivamente, queda de 0,27 por cento e alta de 0,07 por cento, com investidores aguardando a decisão da taxa do banco central da Austrália. Ao fim da reunião do BC, a taxa foi mantida a 4,75 por cento.

Os papéis na China, que têm liderado o recente rali nos mercados regionais, recuaram após a agência de classificação de risco Moody’s dizer que a dívida nacional do governo local pode ser 3,5 trilhões de iuans (540 bilhões de dólares) maior que o estimado por autoridades, deixando os bancos expostos a maiores perdas.

O índice MSCI de ações da Ásia-Pacífico fora do Japão operava estável, perto da máxima desde 2 de junho. O índice têm apresentado uma tendência de alta nas últimas duas semanas.

A bolsa de Taiwan avançou 0,11 por cento. Cingapura recuou 0,75 por cento. Hong Kong teve baixa de 0,10 por cento e a bolsa chinesa ganhou 0,13 por cento.