Bolsas da Ásia fecham no campo negativo e Hong Kong cai 1,2%

Os investidores encontraram poucos novos dados econômicos para digerir no pregão asiático de hoje

Tóquio – Os mercados asiáticos encerraram em queda nesta quinta-feira. As bolsas da região apresentaram fraqueza à véspera do pronunciamento do presidente do Fed, Ben Bernanke, sobre a perspectiva econômica dos EUA, na sexta-feira.

Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong, que sofreu ainda com o peso da fraqueza nas ações do setor imobiliário, em mais uma sessão de fraco volume de negociações. O Hang Seng caiu 1,2% e terminou aos 19.552,91 pontos.

Já a Bolsa de Xangai, na China, fechou estável. Os investidores encontraram poucos novos dados econômicos para digerir. A mais recente expansão do governo feita nas margens de negociações mostrou pouco impacto sobre o sentimento geral. O Xangai Composto terminou aos 2.052,59 pontos. Já o Shenzhen Composto desabou 1,8%, aos 835,95 pontos.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé fechou em baixa, com o índice Taiwan Weighted recuando 0,27%, aos 7.371,44 pontos. O mercado permanece cauteloso e espera pelas considerações de Bernanke.

A Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, fechou em queda com a sequência de vendas por parte de investidores estrangeiros. Analistas acreditam que o cenário permanecerá assim às vésperas dos eventos macroeconômicos, o que inclui o discurso do presidente do Fed. O índice Kospi caiu 1,15%, aos 1.906,38 pontos.

A Bolsa de Sydney, na Austrália, sofreu sua maior queda em um mês, com questões sobre a longevidade do boom de investimentos em mineradoras minando a confiança no mercado amplo. Resultados fracos de bolsas no exterior também contribuíram para a queda. O índice S&P/ASX 200 caiu 0,94%, aos 4.315,67 pontos.

A redução do crescimento do PIB no segundo trimestre provocou alguma realização de lucro nas blue chips e derrubou a Bolsa de Manila, nas Filipinas. O PSEi caiu 0,9% e encerrou aos 5.149,31 pontos, com moderado volume de negociações. As informações são da Dow Jones.