Bolsas da Ásia caem na expectativa de payroll dos EUA

As eleições na Grécia e França também estiveram no foco dos investidores

Tóquio – As Bolsas da Ásia fecharam em baixa, em sua maioria, na expectativa da divulgação dos dados do mercado de trabalho dos EUA, hoje às 9h30. As eleições do fim de semana de Grécia e França, bem como a divulgação do orçamento de Austrália, na terça-feira, também estiveram no foco dos investidores. Não houve negociações em Tóquio por ser feriado.

A Bolsa de Hong Kong fechou em baixa, com as ações de empresas de recursos naturais liderando o declínio. O índice Hang Seng cedeu 0,77% e terminou aos 21.086,00 pontos; na semana, o índice subiu 1,7%.

As Bolsas da China fecharam em alta, lideradas pelos bancos e as imobiliárias, em meio às expectativas de que as autoridades possam lançar, provavelmente no fim de semana, mais medidas para apoiar a recuperação do mercado. O índice Xangai Composto subiu 0,5% e terminou aos 2.452,01 pontos. O índice Shenzhen Composto ganhou 1,1% e encerrou aos 972,30 pontos.

O yuan cedeu levemente ante o dólar, seguindo a alta da taxa de referência diária fixada pelo banco central, e uma vez que os investidores continuam apreensivos em meio a expectativas de que a política monetária chinesa permaneça inalterada nas próximas semanas, após a conclusão das conversações entre o país e os EUA. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,3062 yuans, de 6,3050 yuans ontem. A taxa de paridade central dólar-yuan foi fixada em 6,2721 yuans, de 6,2697 ontem.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé fechou em alta com a cobertura de posições vendidas na HTC. O mercado também foi beneficiado pela esperança de que os legisladores não aprovem a proposta da retomada do imposto sobre o ganho de capital, em meio a forte protesto público. O índice Taiwan Weighted subiu 0,54%, aos 7.700,95 pontos.

Já a Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, encerrou em baixa, com Samsung Electronics e Hyundai Motor liderando as perdas com os investidores realizando lucros. O índice Kospi retrocedeu 0,30% e terminou aos 1.989,15 pontos.

A Bolsa de Sydney, na Austrália, também fechou em baixa. Investidores mostraram preocupação com a desaceleração do crescimento no setor de serviços dos EUA e com a declaração do Banco Central Europeu de que a perspectiva para a zona do euro tornou-se “mais incerta”. O índice S&P/ASX 200 recuou 0,74% e terminou aos 4.396,04 pontos.

Na Bolsa de Manila, nas Filipinas, houve ligeira queda, após alguns investidores realizarem lucros na sequência dos ralis recordes de pontuação. O índice PSE caiu 0,1% e terminou aos 5.297,55 pontos.

A Bolsa de Cingapura terminou em baixa, acompanhando as baixas em Wall Street e com a cautela dos investidores antes da divulgação do payroll dos EUA. O índice Straits Times perdeu 0,3% e fechou aos 2.990,59 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, cedeu 0,2% e fechou aos 4.216,68 pontos, pressionado pela desvalorização da rupia e pelo declínio de seus pares asiáticos.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, recuou 1,0% e fechou aos 1.227,42 pontos, com realizações de lucros e uma postura conservadora dos investidores devido a preocupações com os rumos do crescimento econômico global.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, subiu 0,5% e terminou aos 1.591,04 pontos, com ganhos em uma seleção de papéis. As informações são da Dow Jones