Bolsas da Ásia caem com PMI da China e risco Grécia

Investidores se decepcionaram com o resultado da cúpula de líderes europeus que tratou sobre a crise da dívida grega

Tóquio – A maioria dos mercados asiáticos ficou no campo negativo nesta quinta-feira. Os fracos dados sobre a atividade manufatureira na China pesaram no sentimento dos investidores, que também se decepcionaram com o resultado da cúpula de líderes europeus que tratou sobre a crise da dívida da Grécia.

Por causa disso, a Bolsa de Hong Kong fechou em baixa pela 14ª vez nos últimos 16 pregões, embora haja expectativa de que Pequim irá adotar medidas de flexibilização na economia chinesa. O Hang Seng caiu 119,79 pontos, ou 0,6%, e encerrou aos 18.666,40 pontos.

As Bolsas da China tiveram queda por causa da fraca leitura preliminar do PMI de maio, que indica uma persistente fraqueza na economia doméstica. O Xangai Composto caiu 0,5% e terminou aos 2.350,97 pontos. O Shenzhen Composto recuou 0,9%, aos 945,95 pontos.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé fechou em queda, acompanhando as perdas na maioria dos mercados asiáticos. O índice Taiwan Weighted recuou 0,32%, aos 7.124,89 pontos.

Já a Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, encerrou em alta, após cambalear para dentro e para fora do território positivo, em dia de comércio fraco. O índice Kospi subiu 0,32%, aos 1.814,47 pontos.

O PMI fraco da China e o fracasso da reunião de líderes da UE também derrubaram a Bolsa de Sydney, na Austrália. O índice S&P/ASX 200 caiu 0,28%, aos 4.055,85 pontos, entrando em território negativo no balanço de 2012.

Nas Filipinas, a Bolsa de Manila também teve queda com a realização de lucros. O índice PSEi baixou 0,5% e terminou aos 4.904,22 pontos, com moderado volume de negociações. As informações são da Dow Jones.