Bolsas asiáticas fecham sem direção única, com alta na China

Investidores na Ásia tendem a ficar retraídos nos próximos dias, uma vez que os EUA irão comemorar o feriado de Ação de Graças na quinta-feira (23)

São Paulo – As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta segunda-feira, com as da China se recuperando na segunda metade do pregão e a do Japão prejudicada pela valorização do iene, principalmente em relação ao euro.

Temores de que o governo chinês seja mais rígido na regulação dos mercados voltaram a pesar nas ações locais hoje, em especial nos negócios da manhã (pelo horário local).

No fim da semana passada, Pequim revelou planos de intensificar a monitoração de produtos de gestão de ativos vendidos por instituição financeiras.

Na sessão da tarde, porém, as bolsas chinesas se recuperaram, evitando ampliar perdas recentes. O Xangai Composto subiu 0,28%, a 3.392,40 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,90%, a 1.971,93 pontos, apagando perdas de mais cedo que chegaram a 2,1%.

Na sexta-feira, o Shenzhen, que é formado por empresas de menor valor de mercado, sofreu um tombo de 2,78%, o maior em quatro meses.

Em Tóquio, por outro lado, o Nikkei foi influenciado pelo iene, que se fortaleceu ante o euro durante a madrugada, após o fracasso ontem de conversas para a formação de uma nova coalizão governista na Alemanha.

O índice japonês caiu 0,60%, a 22.261,76 pontos, depois de acumular ganhos nos dois pregões anteriores.

Em outras partes da Ásia, ações de tecnologia prejudicaram o sul-coreano Kospi, que recuou 0,25% em Seul, a 2.527,67 pontos, e o Taiex, que encerrou o dia com queda de 0,35% em Taiwan, a 10.664,55 pontos, mas o Hang Seng subiu 0,21% em Hong Kong, a 29.260,31 pontos, e o filipino PSEi registrou leve alta de 0,13% em Manila, a 8.321,98 pontos.

Segundo analistas, investidores na Ásia tendem a ficar retraídos nos próximos dias, uma vez que os EUA irão comemorar o feriado de Ação de Graças na quinta-feira (23).

Há preocupações também sobre o andamento da reforma tributária do presidente dos EUA, Donald Trump, no Congresso americano.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no vermelho hoje, pressionada por papéis de grandes bancos domésticos e de mineradoras. O índice S&P/ASX 200 caiu 0,19% em Sydney, a 5.945,70 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.