Bolsas asiáticas fecham sem direção única

O principal índice acionário da China, o Xangai Composto, subiu 1,74%, atingindo o maior nível desde 10 de dezembro de 2013

São Paulo – As bolsas na região da Ásia e do Pacífico fecharam sem direção única nesta segunda-feira, mas os mercados chineses tiveram forte desempenho, sustentados por ações do setor imobiliário e de corretoras.

O principal índice acionário da China, o Xangai Composto, subiu 1,74%, a 2.223,33 pontos, atingindo o maior nível desde 10 de dezembro de 2013.

Já o Shenzhen Composto, que acompanha empresas chinesas menores, avançou 1,4%, a 1.164,32 pontos.

A melhora da perspectiva econômica da China gerou expectativas de que Pequim reduza as restrições para empresas imobiliárias e corretoras, beneficiando ambos os setores nos negócios de hoje.

Entre as firmas imobiliárias, destacaram-se a China Vanke (+2,2%), Poly Real Estate Group (+2,9%) e China Merchants Property Development (+3,9%) e, entre as corretoras, os maiores ganhos foram da Guoyuan Securities (+7,7%), Citic Securities (+6,1%) e Founder Securities (+4,7%).

O dia também foi de valorização em Hong Kong, onde o índice Hang Seng subiu 0,3%, a 24.600,08 pontos, e em Taiwan, com alta de 0,7% no Taiex, a 9.330,19 pontos.

Em Seul, o índice Kospi, das ações sul-coreanas mais negociadas, terminou o dia com avanço de 0,35%, a 2.080,42 pontos.

Segundo analistas, porém, incertezas sobre o futuro da política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) e preocupações com a Argentina e Portugal pesaram sobre outros mercados da região.

O índice japonês Nikkei, de Tóquio, recuou 0,3%, a 15.474,50 pontos, enquanto o Straits Times, de Cingapura, perdeu 0,78%, a 3.318,40 pontos.

Na Oceania, a bolsa de Sydney fechou no menor nível em duas semanas, após um pregão de poucos negócios em meio a um feriado bancário no Estado de Nova Gales do Sul. O índice S&P/ASX 200, que reúne as ações mais líquidas na Austrália, caiu 0,3%, a 5.540,90 pontos.

Com informações da Dow Jones Newswires.