Bolsas asiáticas fecham sem direção à espera do Fed

Os investidores aguardaram os próximos passos da política monetária nos EUA

São Paulo – As bolsas asiáticas encerraram o pregão sem uma direção única, enquanto os investidores aguardaram os próximos passos da política monetária nos EUA.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) deu início à reunião de política monetária ontem, com a divulgação do comunicado prevista para hoje à tarde. Uma parcela do mercado antecipa que a autoridade monetária anunciará hoje o início da redução dos estímulos à economia, mas a maioria acredita na manutenção.

O índice Taiwan Weighted perdeu 0,5% e encerrou o dia com 8.349,04 pontos, em um pregão com baixo volume. O índice PSEi, nas Filipinas, subiu 0,5%, para 5.961,55 pontos, e o Kospi, na Coreia do Sul, avançou 0,4%, aos 1.974,63 pontos. Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,3% e fechou aos 23.143,82 pontos.

“É claro que o mercado está preocupado com a redução dos estímulos nos EUA. Mas nesse ponto, não é uma novidade”, disse o diretor de operações da KGI Asia em Hong Kong, Ben Kwong.

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200 fechou em leve queda de 0,1%, aos 5.096,1 pontos. O mercado local também foi impactado por preocupações sobre os lucros das empresas, sobre emissões de ações e pela queda no câmbio.

Durante o pregão a Wotif.com alertou que o lucro pode cair até 20%, o que levou suas ações a uma queda de 32%. “As pessoas estão começando a assumir o pior à medida que os alertas sobre os lucros continuam”, disse o editor do Marketmatters.com.au, Shawn Hickman.

Na China, os mercados acionários fecharam em baixa pelo sétimo pregão consecutivo, influenciados por preocupações sobre a desaceleração da economia e por temores com a liquidez dos bancos.

O índice Xangai Composto caiu 0,1% e fechou com 2.148,28 pontos, no menor nível desde 15 de novembro. O Shenzhen Composto também recuou 0,1% e caiu para 1.046,84 pontos.

“Os dados preliminares de manufatura de dezembro divulgados no início desta semana mostraram alguma fraqueza, e junto com as expectativas de um aperto na liquidez e o retorno das aprovações das ofertas públicas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês), há pouco apetite para negociar”, disse Zhang Yanbin, analista na Zheshang Securities.

Em novembro, a China atraiu US$ 8,5 bilhões em investimento estrangeiro direto, segundo números anunciados pelo Ministério do Comércio. Operadores disseram que isso ajudou a sustentar o índice. Fonte: Dow Jones Newswires.