Bolsas asiáticas fecham em queda guiadas por EUA

As ações foram influenciadas pelo fraco desempenho dos mercados norte-americanos na véspera

São Paulo – As bolsas asiáticas encerraram o dia em queda, influenciadas pelo fraco desempenho dos mercados norte-americanos na véspera. Na segunda-feira, o Instituto para Gestão de Oferta (ISM, na sigla em inglês) reportou uma forte desaceleração na atividade industrial dos EUA, levando os investidores a questionarem o ritmo de recuperação da maior economia do mundo.

O índice de atividade do setor manufatureiro dos EUA medido pelo ISM caiu para 51,3 em janeiro, de 56,5 em dezembro. Ainda que leituras acima de 50 indiquem expansão da atividade, economistas consultados pela Dow Jones esperavam um recuo bem menor, para 56,0. Essa foi a maior queda mensal desde maio de 2011.

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, fechou em baixa de 1,8%, para 5.097,1 pontos, assim como o sul-coreano Kospi, da Bolsa de Seul, caiu 1,7% e atingiu os 1.886,85 pontos. Nas Filipinas, o índice PSEi, da Bolsa de Manila, fechou em baixa de 2,15% e encerrou o dia com 5.886,01 pontos.

O Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, caiu 2,9%, aos 21.403,45 pontos, e entrou oficialmente em correção, depois de acumular perdas de 11% desde a máxima de 2 de dezembro. Os mercados financeiros da China e de Taiwan permaneceram fechados em função do feriado do Ano Novo Lunar.

“Nós temos sido bombardeados com manchetes negativas e dados, e esse [atividade industrial nos EUA] apenas aumenta o pessimismo”, disse Paul Mackel, diretor de pesquisa de moeda asiática no HSBC em Hong Kong. “Não há uma luz óbvia no fim do túnel.”

Os EUA devem continuar em foco nesta semana com a divulgação de dados de emprego, com destaque para o relatório de emprego que será publicado na sexta-feira.

No pregão australiano, o desempenho diário do índice S&P/ASX 200 foi o pior em seis meses, em um dia no qual as perdas foram generalizadas. Para Nader Naeimi, chefe de alocação de ativos na AMP Capital, é quase hora de comprar ações. “Nós ainda não estamos comprando ações, mas nós estamos observando possíveis oportunidades”, disse.

O dia também foi marcado pela reunião de política monetária do Banco da Reserva da Austrália (RBA, na sigla em inglês). Embora a autoridade monetária tenha mantido a taxa básica de juro em 2,5% ao ano, o RBA sinalizou que não irá mais cortar juros e disse que o dólar australiano já se desvalorizou o suficiente para ajudar o crescimento da economia doméstica. Fonte: Dow Jones Newswires.