Bolsas asiáticas fecham em alta com salto do petróleo e Fed

Na China, a Bolsa de Xangai subiu 1,5% hoje, a 2.781,02 pontos, enquanto a de Shenzhen, de menor abrangência, avançou 2%, a 1.771,07 pontos

São Paulo – As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam em alta nesta quinta-feira, acompanhando a vigorosa recuperação do petróleo, que ontem teve ganhos de até 8% em reação a uma forte desvalorização do dólar.

Dados mais fracos do que esperado do setor de serviços dos EUA levaram o dólar a atingir ontem o menor valor frente a uma cesta de moedas em três meses, favorecendo as commodities, como o petróleo.

Comentários “dovish” (favoráveis à manutenção de estímulos) de dirigentes do Federal Reserve, ou Fed, como é conhecido o banco central norte-americano, também pressionaram o dólar.

Especulação de que o Fed poderá elevar juros somente duas vezes este ano, menos do que se previa anteriormente, ajudou a alimentar o apetite por risco na região asiática, segundo Xiao Shijun, analista da Guodu Securities em Pequim.

Na China, a Bolsa de Xangai subiu 1,5% hoje, a 2.781,02 pontos, enquanto a de Shenzhen, de menor abrangência, avançou 2%, a 1.771,07 pontos.

O bom humor nos mercados chineses também veio após o PBoC – o BC chinês – voltar a fazer hoje nova injeção de capital no sistema financeiro, no valor de 150 bilhões de yuans (US$ 22,8 bilhões), por meio de operações de mercado aberto.

Em Hong Kong, o Hang Seng teve alta de 1,01%, a 19.183,09 pontos, enquanto em Seul, o índice sul-coreano Kospi subiu 1,35%, a 1.916,26 pontos, e em Manila, o filipino PSEi apresentou ganho ainda mais expressivo, de 2,01%, a 6.652,83 pontos.

Apenas o índice de ações de energia de Hong Kong saltou 4,6%. Já o mercado em Taiwan não operou, devido a aproximação do feriado do ano-novo chinês, que será ao longo da próxima semana.

A bolsa australiana, a principal da Oceania, foi igualmente favorecida pela recuperação do petróleo. O S&P/ASX 200, índice que reúne as ações mais negociadas em Sydney, avançou 2,1%, a 4.980,40 pontos, apagando quase toda a desvalorização de 2,3% da sessão anterior, que havia sido a maior desde setembro do ano passado.

No setor petrolífero australiano, os destaques de alta incluíram Santos (+13%), Woodside Petroleum (+5,8%) e Oil Search (+7,1%).