Bolsas asiáticas caem com preocupações sobre Europa

Na Austrália, o índice S&P ASX /200 caiu 1%, para 5.003,60 pontos, depois de recuar até 1,5% no começo da sessão

Tóquio – Os mercados de ações asiáticos fecharam em queda, influenciados em parte pelos resultados inconclusivos das eleições parlamentares na Itália, que despertaram preocupações sobre uma possível renovação da crise na Europa. Além disso, as bolsas locais também foram afetadas por notícias da região.

Na Austrália, o índice S&P ASX /200 caiu 1%, para 5.003,60 pontos, depois de recuar até 1,5% no começo da sessão. Empresas de bens de consumo reverteram os fortes ganhos obtidos na segunda-feira, com a Woolworths, a Wesfarmers e a Coca-Cola Amatil terminando a sessão em queda entre 1,2% e 2,2%.

As empresas que trabalham com recursos naturais também apresentaram fracas performances: a BHP Billiton, a Rio Tinto e a Fortescue Metals recuaram entre 0,9% e 3%.

Além do pessimismo trazido da Itália, o clima em Sydney ficou ainda mais negativo por causa de uma série de resultados decepcionantes de lucros corporativos. A Atlas Iron e o QBE Insurance Group caíram 3,4% e 2,2%, respectivamente, depois de anunciar seus últimos números.

Apesar das notícias dos mercados estrangeiros, as ações na China foram influenciadas por informações locais, levando o índice Xangai Composto a uma queda de 1,4%, para 2.294,34 pontos, após o editorial de um jornal estatal afirmar que a política monetária de relaxamento do país está chegando ao fim. O índice Shenzhen Composto avançou 1,3%, para 943,33 pontos.


O artigo do China Securities News desencadeou a venda de papéis de bancos locais, com o Industrial and Commercial Bank of China e o China Construction Bank terminando o pregão em queda de 1% e 0,9%, respectivamente, em Xangai.

As vendas na China continental também influenciaram Hong Kong, onde o índice Hang Seng caiu 1,3%, para 22.519,69 pontos.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi caiu 0,5%, para 2.000,01 pontos, uma vez que estrangeiros passaram a ser vendedores líquidos após uma onda de compras que durou seis sessões seguidas. O índice foi puxado para baixo por ações de montadoras. Entre as piores performances, a Samsung Electronics recuou 0,2% e a Hyundai Motor perdeu 0,5%. Mas os ganhos em ações domésticas evitaram que o índice caísse ainda mais, com a CJ CheilJedang avançando 2,2%.

As bolsas de Taipé e de Manila foram afetadas principalmente pelas notícias vindas da Europa, levando o índice Taiwan Weighted a cair 0,8%, para 7.880,90 pontos, e o índice PSEi, das Filipinas, a recuar 1,4%, para 6.630,67 pontos. Foi a maior queda do PSEi em um único dia desde 17 de dezembro. As informações são da Dow Jones.