Bolsas asiáticas caem à espera de ata do Fed

O documento será divulgado após ontem à noite o presidente do Fed, Ben Bernanke, dizer que os juros podem continuar baixos

São Paulo – Os mercados acionários asiáticos encerraram o pregão em leve queda, à espera da ata do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc), que divulgará detalhes sobre a última decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos).

O documento será divulgado após ontem à noite o presidente do Fed, Ben Bernanke, dizer que os juros podem continuar baixos até “bem depois” da taxa de desemprego recuar para 6,5%.

O mercado também foi pressionado pelo corte nas projeções da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A OCDE cortou em 0,5 ponto porcentual a previsão para o crescimento econômico de 2014, para 3,6%. Para a China, a projeção caiu a 8,2%, de 8,4%.

A OCDE atribuiu a piora nos números à piora do crescimento econômico em alguns grandes países em desenvolvimento, uma vez que essas economias estarão mais vulneráveis às saídas de capital quando o Fed começar a reduzir os estímulos.

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200 caiu 0,9%, para 5.307,66 pontos, guiado pela forte queda de 25% nas ações da WorleyParsons. A empresa alertou que o lucro líquido do ano poderá ficar 19% abaixo da meta anterior. Na Coreia do Sul, o índice Kospi perdeu 0,7%, aos 2.017,24 pontos, enquanto nas Filipinas o índice PSEi caiu 1,8%, para 6.155,3 pontos, ainda avaliando os impactos do tufão Haiyan. Em Taiwan, o índice Taiwan Weighted perdeu 0,7% e caiu para 8.204,46 pontos.

A exceção ficou por conta da China, onde os mercados acionários fecharam em alta ainda digerindo a nova agenda de reforma econômica divulgada pelas lideranças políticas.

O índice Xangai Composto e o Shenzhen Composto fecharam com ganhos de 0,6%, para 2.206,61 pontos e 1.060,79 pontos, respectivamente, e o índice Hang Seng avançou 0,2%, a 23.700,86 pontos.

Ontem, o presidente do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês), Zhou Xiaochuan, disse que o banco central irá abandonar as intervenções regulares no mercado de câmbio e aumentar a banda diária de negociação cambial. Zhou não apresentou um cronograma para que essas medidas sejam implantadas. Fonte: Dow Jones Newswires.