Bovespa sobe na esteira do exterior e balanços

Bolsa brasileira acompanha o bom humor dos mercados internacionais trazido por balanços nos Estados Unidos e Europa

São Paulo – A Bovespa abriu em alta nesta quinta-feira, acompanhando o bom humor das bolsas internacionais trazido por balanços nos Estados Unidos e Europa, pela notícia de que a Espanha vai pedir 60 bilhões de euros para financiar o sistema financeiro do País e pelo indicador mostrando que o Reino Unido deixou a recessão. O país cresceu pela primeira vez em nove meses, com a melhor taxa em cinco anos (1% entre julho e setembro). O resultado ruim da Vale, divulgado nesta quarta-feira (24), havia sido antecipado e não é determinante na trajetória da bolsa paulista. Até porque, os analistas esperavam números ainda piores.

“Hoje há dados que devem manter o índice em alta, mas nada aqui e no exterior garante que a melhora seja consistente”, disse um operador de uma importante corretora. Às 12h10, o Ibovespa subia 1,68%, aos 58.122 pontos.

Em Wall Street, a expectativa maior agora é com o resultado da Apple, após o fechamento do mercado. Na Europa, as bolsas eram ajudadas pelo resultado acima do esperado da Unilever, que impulsionava as ações da empresa para alta de mais de 3%. As vendas aumentaram 10% no terceiro trimestre ante igual período do ano passado, para 13,4 bilhões de euros (US$ 17,4 bilhões). Graças ao desempenho nos mercados emergentes, a companhia manteve suas projeções. Também positivos foram o resultado da Basf, a boa influencia para a bolsa alemã nesta quinta, além dos balanços também bons das francesas Novartis e Sanofi.

O balanço da Vale ruim era esperado, por causa da queda no preço do minério de ferro. A empresa registrou um recuo de 66,2% do lucro líquido no terceiro trimestre ante o mesmo período de 2011, ficando em US$ 1,669 bilhão. É o menor lucro desde o primeiro trimestre de 2010. Ainda assim, as ações da empresa abriram em alta forte porque os investidores esperavam dados ainda piores. No horário acima, as ações da mineradora subiam em torno de 4%.