Bolsa sobe 2,50% e empresas ganham mais de R$ 90 bi em valor de mercado

O bom humor do mercado se deve principalmente ao alívio vindo do mercado externo

São Paulo – O Ibovespa fechou em alta de 2,49% na tarde desta terça-feira (11) aos 115.032.98 pontos. O principal índice da bolsa brasileira voltou a subir após fechar no menor patamar do ano na véspera, quando ficou em 112.570,30 pontos. Hoje, o giro financeiro da sessão somou 23 bilhões de reais.

A alta de mais de 2 mil pontos fez com que as empresas listadas no índice tivessem um adicional de 93,34 bilhões de reais em valor de mercado.

O bom humor do mercado se deve principalmente ao alívio vindo do mercado externo. Especialistas ouvidos por EXAME explicaram que o temor dos investidores frente a disseminação do coronavírus pode estar próximo ao fim. Isso porque a China anunciou que as grandes indústrias vão voltar e o governo irá apoiar a retomada da produção.

“A economia chinesa deve voltar aos trilhos e o peso econômico do coronavírus será menos do que o esperado”, afirma Jefferson Laatus, estrategista-chefe e fundador do Grupo Laatus.

Para Rafael Bevilacqua, estrategista-chefe da Levante Investimentos, a reação do mercado foi exagerada nas últimas semanas. “O comportamento do mercado não fez muito sentido. Já tivemos outras epidemias, como SARS e gripe suína, o impacto foi bem menor.”

O alívio vindo da China impactou diretamente no preço do minério de ferro, que subiu mais de 4%, contribuindo para alta da Usiminas (USIM5) e CSN (CSAN3), que subiram mais de 6% e 4%, respectivamente.

Os papéis da Vale também subiram mais de 3%, impactos pela China e também pela divulgação da produção do minério de ferro em 2019, que apesar da queda de 21,5% frente a 2018, foi vista como positiva por analistas, já que os resultados superaram o previsto. A mineradora também manteve previsão de produção de finos de minério de ferro em 2020 entre 340 milhões e 355 milhões de toneladas.

Bancos 

Além da China, contribuíram para a alta do Ibovespa o otimismo do mercado em relação aos bancos. O Itaú e o Banco do Brasil fecharam em alta de mais de 4%, cada um. O Santander teve alta de cerca de 1% na Bolsa, enquanto o Bradesco subiu 0,76%.

Ontem, após o fechamento do pregão, o Itaú divulgou que teve alta de 12,6% no lucro do quarto trimestre. O banco informou que teve lucro líquido recorrente, que exclui itens únicos, de 7,296 bilhões de reais no quarto trimestre.

Para Fernando Siqueira, gestor de renda variável da Infinity Asset, os bancos têm apresentado crescimento recorrente no lucro líquido, assim como na receita de serviços, o que afasta um pouco o temor de que os bancos digitais e as fintechs estariam ameaçando o reinado dos bancos. “Essa discussão existe desde o ano passado, mas até agora não tiveram dados que de fato comprovassem que os bancos estariam perdendo espaço.”