Bolsa sobe 1,55% e bate mais um recorde

Ibovespa terminou o dia aos 76.897 pontos com investidores otimistas em relação à aprovação da reforma da Previdência e a revisão das projeções do FMI

São Paulo — Após duas sessões seguidas de perdas, a Bolsa terminou esta terça-feira em alta de 1,55% aos 76.897 pontos. A pontuação é a maior já registrada em um fechamento. O recorde anterior foi alcançado no último dia 3, quando o Ibovespa chegou aos 76.763 pontos.

O humor dos investidores foi influenciado pela expectativa da aprovação da reforma da Previdência, pela mudança nas previsões do Fundo Monetário Internacional (FMI) e pela alta dos preços do petróleo em Nova York.

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, lideranças do governo vão apresentar uma proposta mais enxuta da reforma depois que a denúncia contra Michel Temer for analisada. O texto deve se concentrar em mudanças na idade mínima para aposentadoria, no tempo mínimo de contribuição e nas regras de transição.

Fora isso, o FMI elevou a previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país de 0,3% para 0,7%. Para 2018, a estimativa é de que o Brasil tenha expansão de 1,5%.

Destaques

A maior alta do dia foi da Gerdau Metalurgia, que subiu 5,59%. Em seguida, aparecem os papéis da Gerdau, com alta de 4,21%. Santander, Kroton e Rumo completam a lista com ganhos superiores a 3%.

Na ponta negativa, Sabesp teve perdas de 1,5% e Bradespar, de 1,3%. Braskem, Cielo e Vale caíram menos de 1%.

Dólar

A moeda norte-americana fechou em leve queda de 0,06%, a 3,1838 reais, acompanhando o movimento no exterior. Os investidores seguem à espera da ata do Fed, que deve ser divulgada na próxima quarta-feira.