Bolsa sobe 1,14%; Desigualdade sobe…

Bolsa: 58.393

A bolsa voltou a subir nesta quarta-feira com o Ibovespa encerrando o dia em alta de 1,14%, com 58.393 pontos, retornando a valores do dia 12 de setembro. A alta foi impulsionada pela decisão do Fed, banco central americano, de não aumentar a taxa básica de juro no país após reunião realizada nesta quarta-feira. O anúncio tranquilizou investidores sobre a fuga de capitais para os Estados Unidos. As ações da Petrobras tiveram nova alta, ainda no rastro da notícia do novo plano de administração da empresa e do aumento no preço do petróleo. Os papéis preferenciais da petroleira subiram 1,19%; e os ordinários, 1,93%. As ações do banco Itaú também tiveram alta, 0,96%, após notícias de que o banco negocia com exclusividade as operações de varejo do Citi Bank no Brasil.

__

Vale que vale

As ações da Vale foram fator relevante no pregão. A alta foi motivada por reavaliação do banco Barclays que mudou a classificação de “abaixo da média” para “alinhada com o mercado”. Uma notícia publicada no blog do jornalista Lauro Jardim, de O Globo, sobre a venda de dois terços dos ativos da área de fertilizantes da mineradora para a americana Mosaic também foi bem recebida. As ações preferenciais da Vale terminaram o pregão em alta de 6,2% e as ordinárias subiram 5,45%. Os papéis representam quase 10% de todas as negociações nesta quarta-feira na Bovespa. No bom momento da Vale, outras mineradoras também registraram alta: Usiminas subiu 7,65%; e a Gerdau, 5,54%.

__

Dólar cai

O dólar fechou em queda de 1,54%, sendo cotado em 3,21 reais, o menor patamar das duas últimas semanas. Com o Fed deixando de aumentar a taxa de juro e empurrando a decisão para o final do ano, investidores contam com maior volume financeiro vindo para o Brasil, ampliando o montante de moeda internacional em relação ao real. A notícia prejudicou as ações das companhias exportadoras na bolsa. As maiores baixas do dia foram da Fibria e da Suzano, duas exportadoras de celulose, que tiveram queda de 3,63% e 3,42%.

__

Mostrando serviço

A receita líquida gerada por 1,3 milhão de empresas de serviços não financeiros no país em 2014, segundo dados do IBGE, foi de 1,4 trilhão de reais. Em relação a 2013, a receita real gerada pelo setor foi 6,5% maior, com 4,5% mais ocupados e aumento de renda real dos salários de 8%. Foram 13 milhões de pessoas trabalhando nos serviços em 2014. A Copa do Mundo de Futebol teve impacto significativo no rendimento do setor. O segmento destinado às atividades culturais recreativas e desportivas registrou um aumento considerável em algumas regiões, como Nordeste (37,8%), Norte (18%) e Sul (20,2%).

__

Mais desigual

A deterioração do mercado de trabalho tem aumentado a desigualdade de renda entre a base da pirâmide e o topo. Segundo pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), quem recebe até um salário mínimo teve queda de 9% na renda média mensal no trimestre encerrado em junho. No mesmo período, os 10% do topo, que recebem os melhores salários e remunerações sobre capital, tiveram aumento da renda acima da inflação, 2,38% de crescimento real.

__

Brasil na Índia

Após a viagem do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, à Ásia, a pasta anunciou que deve começar a exportar produtos agrícolas para a Índia. Maggi também discutiu investimentos da empresa de alimentos BRF no país. O Brasil deve exportar maçãs, ovos e pintos de um dia para os indianos. A BRF, que é a maior exportadora global de carne de frango, informou que vai verificar as informações e posteriormente responderá sobre o assunto. Os ministérios da Agricultura do Brasil e da Índia também criaram um grupo de trabalho para tratar das prioridades do agronegócio entre os dois países.