BOLSA EUA-Wall St amplia ganhos; S&P atinge máxima em 4 meses

Por Angela Moon

NOVA YORK, 20 de setembro (Reuters) – O S&P 500
atingiu a máxima em quatro meses e os três maiores índices das
bolsas norte-americanas subiam quase 1 por cento nesta
segunda-feira. Wall Street buscava ampliar a alta acumulada nos
últimos três dias antes da reunião do Federal Reserve, na
terça-feira.

O Fed deve renovar a promessa de impedir que sua carteira
de ativos encolha, sem adotar novas medidas para afrouxar a
política monetária. [ID:nN20225425]

As bolsas dos Estados Unidos mantinham os ganhos apesar de
uma pesquisa mostrar que a confiança das construtoras nacionais
ficou estável em setembro, indicando fraqueza continuada no
mercado de trabalho. [ID:nN20262217]

“Foi um pouco menos do que esperávamos, mas isso não é
surpreendente. Esperava-se alguma recuperação no setor
imobiliário, mas isso não vai acontecer logo. A bolha toda
começou com o mercado imobiliário, e ele continua sendo a maior
questão para a economia”, disse Cliff Draughn, presidente e
diretor de investimentos da Excelsia Investment Advisors, em
Savannah, Georgia.

O índice de construção do Dow Jones subia 3,4 por
cento. A Lennar , terceira maior construtora dos EUA,
registrou lucro trimestral melhor que o esperado, o que fazia
suas ações dispararem 8,36 por cento, para 15,16 dólares.

Às 14h04 (horário de Brasília), o índice Dow Jones ,
referência da bolsa de Nova York, subia 0,97 por cento, para
10.710 pontos. O índice Standard & Poor’s 500 tinha
valorização de 1 por cento, para 1.136 pontos, juntamente com o
Nasdaq .

A Netezza saltava 12,44 por cento, para 27,66
dólares, após a IBM acertar a compra da companhia de
software e análise de negócios por 27 dólares por ação, ou
cerca de 1,7 bilhão de dólares. A IBM ganhava 0,99 por cento,
para 131,48 dólares.

Os papéis listados nos EUA da BP se apreciavam em
1,57 por cento, para 38,63 dólares, após a companhia
petrolífera dizer que selou permanentemente o poço de petróleo
do Golfo do México.

A China Unicom lançará o novo iPhone da Apple
na China, tentando recuperar uma parcela do mercado
com o smartphone. As ações da Apple subiam 2,22 por cento, para
281,50 dólares.