S&P 500 e Nasdaq recuam mais de 2% com tensão na Líbia

Às 15h28 (horário de Brasília), o índice Dow Jones , referência da bolsa de Nova York, caía 1,45 por cento, para 12.211 pontos

Nova York – Os principais índices acionários norte-americanos recuavam nesta terça-feira, com o Standard and Poor’s 500 e o Nasdaq cedendo mais de 2 por cento, conforme os protestos na Líbia, importante exportadora de petróleo, levavam investidores a se afastar de ativos considerados de maior risco, como ações.

Às 15h28 (horário de Brasília), o índice Dow Jones <.DJI>, referência da bolsa de Nova York, caía 1,45 por cento, para 12.211 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq <.IXIC> perdia 2,46 por cento, para 2.764 pontos. O S&P 500 <.SPX> cedia 1,97 por cento, para 1.316 pontos, após recuar mais de 2 por cento.

Os preços do petróleo atingiam as máximas em dois anos e meio, devido a preocupações de que as manifestações possam prejudicar a oferta da commodity pelo Oriente Médio. Os futuros negociados na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês) saltavam quase por cento, para mais de 94 dólares por barril.

A alta no valor do barril de petróleo golpeava o mercado como um todo por conta de receios com relação a maiores custos dos combustíveis. O índice aéreo Arca <.XAL> perdia 5,3 por cento, com as ações da Delta Air Lines despencando 7,6 por cento.

Apesar disso, havia algum otimismo com a recuperação econômica dos Estados Unidos, após um relatório mostrar que a confiança do consumidor do país subiu em fevereiro ao pico em três anos.

“Se os preços do petróleo continuarem elevados com as dificuldades em curso no Oriente Médio, esse número (o de confiança do consumidor) vai começar a recuar novamente”, disse Joseph Battipaglia, estrategista de mercado da Stifel Nicolaus em Yardley, Pensilvânia.

(Reportagem adicional de Ryan Vlastelica e Caroline Valetkevitch)