BOLSA EUA-NY cai por zona do euro mas dados dos EUA ajudam

(Texto atualizado com mais informações e detalhes)

Por Edward Krudy

NOVA YORK, 30 de novembro (Reuters) – O mercado
norrte-americano de ações caiu após uma sessão instável nesta
terça-feira, mas mostrou resistência face à crise de dívida da
Europa, recuperando algumas perdas ao longo da sessão após a
divulgação de dados positivos da economia dos Estados Unidos.

Os problemas na zona do euro não mostravam sinais de
melhora com a notícia de que o rating de Portugal poderia ser
cortado por agências de classificação de risco, o que gerou um
alto volume de vendas próximo ao final da sessão.

O índice Dow Jones , referência da bolsa de Nova
York, recuou 0,42 por cento nesta sessão, para 11.006 pontos. O
termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 1,07 por cento,
para 2.498 pontos. O índice Standard & Poor’s 500 teve
desvalorização de 0,61 por cento, para 1.180 pontos.

No acumulado de novembro, o Dow teve baixa de 1 por cento,
o S&P 500 recuou 0,2 por cento e o Nasdaq perdeu 0,4 por
cento.

Mais cedo, o índice S&P 500 chegou a recuperar boa parte de
sua queda de 1 por cento após a divulgação de dados positivos
de confiança do consumidor e industriais.

Com a Europa preocupada em administrar sua crise durante
boa parte do ano, investidores estão divididos entre isso e
sinais de fortalecimento da economia dos EUA, e ações abaixo do
preço médio.

“Há um vai-e-volta entre os investidores que veem um
ambiente positivo para o mercado acionário e aqueles que estão
mais preocupados com o impacto a curto prazo dos problemas da
dívida europeia”, disse o vice-presidente de investimentos da
Solaris Asset Managemente, Tim Ghrikey.

Entre as ações com o melhor desempenho da sessão estavam as
do setor de consumo, após o governo dos EUA divulgar que a
confiança do consumidor subiu para seu nível mais alto em cinco
meses. A varejista GAP cresceu 3,1 por cento, para
21,36 dólares, ao passo que a Tiffany & Co avançou 2,4
por cento, para 62,10 dólares.

O dado, junto com a melhora na atividade industrial da
região do meio-oeste dos EUA, foram os últimos de uma série de
relatórios que deixaram investidores mais otimistas, antes dos
dados de desemprego, que serão divulgados nesta sexta-feira, e
da temporada de vendas de natal.

Outra informação que impulsionou ações hoje foi o anúncio
do presidente Barack Obama de que tentaria negociar um acordo
com a oposição sobre política tributária nos próximos dias, o
que pode abrir o caminho para a ampliação de exonerações sobre
lucros e dividendos.

Com o objetivo de aperfeiçoar o serviço de notícias em
português oferecido pela Reuters, estamos realizando uma
pesquisa. Para participar, clique em
http://www.surveymonkey.com/s/ZYJ2B3V. Obrigado