Bolsa de Tóquio fecha em queda acentuada

Houve fortalecimento no iene e migração para bônus

Tóquio – Os mercados de ações de Tóquio fecharam em queda acentuada nesta sexta-feira, após um fortalecimento no iene e migração para bônus, diante de uma aversão ao risco desencadeada por preocupações sobre a economia dos EUA.

O índice Nikkei perdeu 213,49 pontos ou 1,39%, para 15095,00 pontos, marcando a queda mais acentuada desde 16 de maio. O volume de operações foi consideravelmente robusto, com mais de 2,5 bilhões de ações negociadas.

A mudança nos fluxos de capital ocorreram após uma onda de vendas nas bolsas de Wall Street na sessão anterior e uma queda nos juros dos Treasuries, devido, em grande parte, a temores sobre o ritmo de crescimento econômico nos EUA.

Ontem, indicadores norte-americanos de consumo e inflação acenderam o sinal de alerta entre os investidores, resultando na busca por ativos mais seguros.

“O cerne da questão é que os investidores se sentem mais confortáveis comprando títulos do governo dos EUA agora, o que está forçando para baixo as taxas de juros de longo prazo norte-americanas junto com o dólar”, disse Mitsushige Akino, gestor chefe de fundos na Ichiyoshi Investment Management.

“A recuperação econômica dos EUA está avançando mais lenta do que a maioria das pessoas tinha previsto”.

Rendimentos mais altos nos Treasuries se traduzem diretamente em um dólar mais forte, o que, por sua vez, aumenta os lucros dos manufaturas japonesas que vendem seus produtos no exterior.

A fraqueza em Tóquio também ocorreu após dados mostrem uma queda nos gastos com consumo no Japão em maio, divulgados antes da abertura do mercado.

Para alguns, os números colocam em dúvida a visão de que o impacto do aumento do imposto sobre vendas do Japão, em 1º de abril, é administrável. Mas a queda de 0,4% em maio ante o mesmo mês do ano anterior nos gastos foi muito melhor do que o mergulho de 4,3% de abril.

As preocupações mais amplas sobre a recuperação econômica foram desencadeadas também pela revisão para baixo do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA, para uma contração de 2,9%, na terceira estimativa dos números do primeiro trimestre, o que marcou o ritmo mais rápido de declínio em cinco anos.

Acompanhando a baixa nos rendimentos dos Treasuries observada ontem, os juros dos títulos do governo japonês, conhecidos também como JGBs, tocaram uma mínima em 15 meses ao fim da sessão asiática desta sexta-feira, quando o yield (retorno ao investidor) do JGB de 10 anos atingiu 0,555%.

Ainda que o Banco do Japão (BoJ) esteja comprando de grandes montantes de JGBs, como parte de seu programa de flexibilização monetária, os dados mostram que os investidores japoneses estão retomando o ritmo de compras de títulos estrangeiros também, a um valor líquido de 1,487 trilhões de ienes (US$ 14,6 bilhões) na semana encerrada em 20 de junho, a maior quantidade desde agosto de 2013.

Mesmo que o nível do rendimento dos títulos estrangeiros não seja tão atraente, a compra por parte dos investidores japoneses permaneceu forte desde abril e provavelmente vai continuar assim, ressaltou o analista Yujiro Goto, da Nomura Securities. Fonte: Dow Jones Newswires.