Bolsa de NY sobe em reação aos dados de emprego

As ações das companhias aéreas, que haviam caído muito nas sessões anteriores devido a temores relacionados ao vírus ebola, estão entre as maiores altas

Nova York – As Bolsas dos Estados Unidos estão em alta, em reação aos indicadores do nível de emprego em setembro.

“Se havia preocupações de que a recuperação econômica fosse temporária, esse informe sugere que não é”, disse o estrategista Michael Strauss, da consultoria Commonfund.

Foram criados 248 mil postos de trabalho em setembro; o número de agosto foi revisado de 142 mil para 180 mil e o de julho de 212 mil para 243 mil; a taxa de desemprego caiu a 5,9% em setembro, de 6,1% em agosto.

Outros indicadores divulgados nesta sexta-feira, 03, também saíram positivos: o déficit comercial dos EUA ficou em US$ 40,11 bilhões em agosto, quando a expectativa era de US$ 41,0 bilhões.

O índice de atividade dos gerentes de compras (ISM) para o setor de serviços recuou para 58,6 em setembro, de 59,6 em agosto, mas ficou acima da expectativa de 58,5.

“O caminho de menor resistência, exceto por alguma notícia negativa, é para cima. O informe de emprego não foi sensacional, mas foi bom. Mesmo que tivéssemos um informe neutro, acho que o mercado estava predisposto a subir, porque havia caído muito nos últimos dias”, comentou Mark Gomes, da PTT Research.

Larry Milstein, chefe da mesa de títulos do Tesouro da RW Pressprich, observou que “a economia está indo na direção certa e o informe positivo de emprego fez os preços dos bônus caírem; mas ainda não temos o crescimento de salários que gostaríamos de ver. Acho que o Federal Reserve tem bastante tempo antes de começar a elevar as taxas de juro”.

Segundo o Departamento do Trabalho, o salário médio por hora trabalhada recuou 0,04% em setembro, com alta de 2,0% em relação ao mesmo mês do ano passado.

As ações das companhias aéreas, que haviam caído muito nas sessões anteriores devido a temores relacionados ao vírus ebola, estão entre as maiores altas, no quarto dia consecutivo de queda dos preços do petróleo Brent, que serve de referência para o mercado (minutos atrás, JetBlue +5,6%, United Continental +4,7%), American Airlines +6,2% e Delta Air Lines +4,8%).

Todas as 30 componentes do índice Dow Jones estão em alta; entre os destaques estão Goldman Sachs (+2,8%), Disney (+2,2%) e JPMorgan Chase (+2,1%).

Às 14h08 (de Brasília), o índice Dow Jones subia 196 pontos (1,17%), para 16.997 pontos. O Nasdaq avançava 51 pontos (1,16%), para 4.481 pontos. O S&P-500 subia 22 pontos (1,14%), para 1.968 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires.