Bolsa cai 9,99%, a pior semana desde novembro de 2008

São Paulo – A forte volatilidade que marcou o pregão nesta sexta-feira fez o rumo da Bolsa de Valores de São Paulo se confirmar a minutos do final. Foi quando o índice Bovespa à vista “colou” no índice Dow Jones da Bolsa de Nova York e subiu, a despeito do tombo dos papéis de Vale e Petrobras. Os ganhos, entretanto, foram insuficientes para apagar as perdas de mais de 10% na semana.

O Ibovespa terminou a sexta-feira em alta de 0,26%, aos 52.949,22 pontos. Na mínima, registrou 51.153 pontos (-3,14%) e, na máxima, os 53.866 pontos (+2%). Na semana, período que coincide com o mês, acumulou perdas de 9,99%, na pior semana desde o final de novembro de 2008. Em 2011, quem investiu na Bolsa já perdeu 23,60%. O giro totalizou R$ 8,838 bilhões. Os dados são preliminares.

Segundo um consultor de investimentos de um grande banco doméstico, a volatilidade da sessão deve se manter na próxima semana, assim como a trajetória de baixa. “Os investidores estão à espera de uma luz no fim do túnel, mas eles não sabem da onde ela viria”, afirmou.

O evento do dia era o nível de emprego (“payroll”) nos Estados Unidos e ele foi o responsável por parte do alento visto nas bolsas, ao mostrar criação de vagas em julho acima das previsões (117 mil, ante estimativa de 75 mil). Surpreendeu ainda a taxa de desemprego nos EUA, que tinha previsão de estabilidade em 9,2%, mas recuou para 9,1%. O mercado de ações reagiu momentaneamente em alta, caindo em seguida com o temor de a economia dos EUA voltar à recessão.

À tarde, no entanto, as notícias não confirmadas de que o Banco Central Europeu (BCE) pode comprar bônus da Itália e da Espanha deram um pouco de combustível às compras e o Dow Jones fechou em alta. Subiu 0,54%, aos 11.444,61 pontos, acumulando perda de 5,75% na semana. O S&P-500 caiu 0,06%, aos 1.199,38 pontos (-7,19% na semana) e o Nasdaq perdeu 0,94%, aos 2.532,41 pontos (-8,13% na semana). Na Europa, no entanto, a maioria das bolsas caiu. Londres, -2,71%, Paris, -1,26%, Frankfurt, -2,78%.

No Brasil, as blue chips tiveram quedas bastante acentuadas e prejudicaram o comportamento do índice Bovespa. Petrobras ON, -1,92%, Petrobras PN, -2,28%, caindo 12,83% e 13,38% na semana, na mesma ordem. Na Nymex, o contrato futuro do petróleo para setembro avançou 0,29%, a US$ 86,88 o barril.

Na esteira da queda dos metais, Vale ON perdeu 2,44% e Vale PNA, -2,50%. Na semana, recuaram, respectivamente, 12,32% e 11,80%. O setor siderúrgico, hoje, mostrou resistência e subiu, já que é um dos mais castigados no ano. Gerdau PN, +0,90%, Metalúrgica Gerdau PN, estável, Usiminas PNA, +5,84%, e CSN ON, +1,33%.