BNDES quer criar Nasdaq brasileira para empresas de TI

O objetivo é acelerar investimentos em empresas já listadas e otimizar a venda de ações de empresas aportadas por seu braço BNDESPar

São Paulo – O BNDES estuda a criação de um novo setor na bolsa de São Paulo destinado para as empresas de tecnologia, similar ao que acontece com a Nasdaq, preferida do setor nos Estados Unidos.

O objetivo é acelerar investimentos em empresas já listadas e otimizar a venda de ações de empresas aportadas por seu braço BNDESPar.

Totvs, Bematech e Linx são exemplos de empresas que receberam investimento do BNDES antes de estrearem na bolsa. Amanhã é a vez da Senior Solution abrir seu capital. A expectativa é que a empresa capte 100 milhões de reais. O BNDESPar possui 21,5% da empresa, segundo aponta o jornal Folha de S.Paulo.

O objetivo do BNDES é concentrar as empresas de tecnologia na Bovespa Mais, setor de acesso da bolsa com regras rígidas de transparência.

No total, o BNDES tem participação em cerca de 30 empresas do segmento, como Padtec, CI&T, Teikon, entre outras.

Para receber dinheiro do BNDES, essas empresas tiveram que seguir regras de prestação e contas, transparência e disciplina financeira.

O BNDES aposta no segmento do setor nos próximos anos. Segundo a Brasscom, o setor de TI ampliou sua participação no PIB de 4,5% para 5.2% entre 2011 e 2012.

Apesar de não ser exclusiva para empresas de tecnologia, a Nasdaq é a bolsa preferida por estas empresas. Google, Facebook, Microsoft e Apple são algumas das companhias que negociam suas ações nela.