BM&FBovespa aguarda aval para registrar renda fixa

No segundo trimestre deste ano, a Bolsa havia anunciado que lançaria no segundo semestre deste ano as plataformas de balcão para registro de instrumentos de renda fixa

São Paulo – O início na plataforma da BM&FBovespa do registro de ativos de renda fixa, como Certificado de Depósito Bancário (CDB) e Letra de Crédito Imobiliário (LCI), mercados até então dominados pela Cetip, está condicionado à aprovação do órgão regulador, o Banco Central. A informação é de Eduardo Refinetti Guardia, diretor executivo financeiro, corporativo e de relações com investidores da Bolsa.

No segundo trimestre deste ano, a Bolsa havia anunciado que lançaria no segundo semestre deste ano as plataformas de balcão para registro de instrumentos de renda fixa. Atualmente, a BM&FBovespa já está fazendo o registro de Letra de Crédito Agrícola (LCA), conforme Guardia. “Já temos 60% deste mercado, sendo R$ 25 bilhões em estoque.”

De acordo com ele, a plataforma de derivativos da bolsa deve começar a operar no final deste ano com contratos a termo de moeda (NDFs, na sigla em inglês), ao passo que contratos mais complexos devem começar a ser registrados ao longo do ano que vem.

Guardia explicou que a BM&FBovespa está com a sua plataforma de ativos de renda fixa “pronta” para registrar todos esses ativos. Para isso, a bolsa fez desde o ano passado uma adaptação do seu sistema. Em novembro do ano passado, a BM&FBovespa anunciou parceria com a empresa americana Calypso Technology para licenciamento de plataforma para registro e gerenciamento de operações de balcão (OTC).