Biosev pede à CVM interrupção de IPO por 60 dias úteis

O motivo alegado pela empresa foi a incerteza econômica dos mercados nacional e internacional, desfavoráveis à realização da oferta pública inicial de ações

São Paulo – A Biosev, braço sucroenergético da trading francesa Louis Dreyfus Commodities, pediu à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a interrupção no prazo de análise de seu pedido de registro de oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) por 60 dias úteis. O motivo alegado pela empresa foi a incerteza econômica dos mercados nacional e internacional, desfavoráveis à realização da oferta.

Em comunicado publicado na imprensa, a Biosev informa que dentro deste prazo, os termos e condições da oferta poderão ser revistos e eventuais modificações serão oportunamente comunicadas ao mercado.

Na quinta-feira, a empresa havia informado, também em comunicado, que tinha adiado por tempo indeterminado a oferta inicial, após reunião do conselho de administração. “Foi feito um roadshow pelo Brasil, Europa e Estados Unidos. Estamos confiantes de que quando o cenário econômico se restabelecer, novas oportunidades surgirão para a concretização do nosso IPO”, explicava, na nota, o presidente do conselho da Biosev, Kenneth Geld.