Bernanke desfaz expectativa e dólar sobe a R$ 1,578

São Paulo – O dólar subiu no mercado internacional e também no câmbio doméstico, após o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke, corrigir expectativas ao afirmar que o Fed não está preparado para adotar mais ações para sustentar a recuperação da economia americana e que não há plano imediato para nova rodada de compra de bônus pelo Tesouro norte-americano. Ontem, o próprio Bernanke provocou a queda da moeda ao mostrar maior preocupação com a economia do que com a inflação e lançar a possibilidade de um terceiro programa de auxílio monetário nos Estados Unidos.

Na Europa, a Itália teve vendeu hoje títulos no mercado, mas teve de pagar um custo maior e isso alimentou a cautela com a crise da dívida nesta véspera de divulgação dos resultados dos testes de estresse de 91 bancos da zona do euro. No mercado de câmbio brasileiro, a saída de investidores estrangeiros da Bolsa por causa do receio com a inflação, nova alta da taxa Selic e a possibilidade de medidas nos mercados derivativos, ajudou também a impulsionar o dólar, segundo um operador de uma corretora.

O dólar comercial fechou em alta de 0,19% a R$ 1,578 no mercado interbancário de câmbio. Na BM&F, o dólar à vista subiu 0,10% para R$ 1,5765. O euro comercial teve leve alta de 0,09% para R$ 2,229. No mês, o dólar comercial acumula ganho de 1,09% e o euro comercial, queda de 1,59%. O Banco Central fez um leilão de compra de dólar à tarde, no qual a taxa de corte das propostas foi de R$ 1,5765.

Câmbio turismo

Nas operações de câmbio com finalidade de viagens ao exterior, o dólar turismo ficou estável hoje a R$ 1,66 na oferta de venda e R$ 1,527 na compra. O euro turismo subiu 0,56%, cotado a R$ 2,34 na venda e R$ 2,153 na compra.