Banco Nacional Suíço fixa limite para o franco

Segundo o BNS, o mínimo será fixado em 1,20 francos por euro

Paris- O Banco Nacional Suíço (BNS) anunciou nesta terça-feira que irá fixar um câmbio mínimo para o franco suíço para conter a valorização apresentada nos últimos meses.

A medida, adotada pela primeira vez em 33 anos, despertou críticas de economistas e foi vista como “desespero” por alguns países.

“Essa é uma arma atômica. O BNS poderá imprimir quantos francos suíços quiser para comprar euros. É uma medida muito forte”, disse Bernard Lambert, economista do banco Pictet.

Segundo o BNS, o mínimo será fixado em 1,20 francos por euro. O banco advertiu ainda que, para conter a alta, “comprará divisas em quantidade ilimitada”.

O franco suíço é uma refúgio muito apreciado em tempos de crise, dizem os especialistas.

A última vez que o país utilizou esta medida foi em 1978, para controlar a apreciação do franco ante o marco alemão.

Na prática, a medida visa proteger seus exportadores, cujos produtos ficam cada vez mais caros e menos competitivos.

Para os analistas de Natixis, no entanto, essas medidas podem não ter o mesmo efeito no médio prazo.

“O banco central terá dificuldades para resistir à pressão de uma nova aversão ao risco, provocada por um agravamento da situação econômica mundial”.

Segundo um estudo divulgado recentemente pela Federação de Empresas Suíças, o franco já ganhou 11% ante o euro e mais de 15% ante o dólar desde o início do ano, ameaçando mais de 25.000 empregos diretos entre os exportadores.