B2W e MPX em dia de ganhos; embargo russo penaliza BR Foods

Ibovespa se mantém no positivo com leve alta e acompanha bolsas dos Estados Unidos

São Paulo – Após oscilar entre os terrenos positivo e negativo nas primeiras horas de pregão, o Ibovespa se mantém no azul na tarde desta quinta-feira (2). Na máxima do dia o principal índice da bolsa valorizava 0,5%, atingindo 63.740 pontos.

Na agenda internacional, os pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos caíram na semana passada menos que o previsto, levando o número a uma taxa anualizada a 422 mil, acima dos 415 mil previstos. Mesmo com o dado frustrando analistas, as bolsas de Nova York também ganham o campo positivo neste pregão.

A produtividade dos trabalhadores americanos aumentou em um ritmo anual de 1,8% entre janeiro e março após o aumento de 2,9% nos três meses anteriores, segundo o cálculo divulgado hoje pelo Departamento de Trabalho.

/libc/player/liquid3.swf

B2W

Os papéis da B2W (BTOW3) estão entre os que mais sobem no pregão. Na máxima do dia, a alta chegou a 4,3%, com os papéis vendidos a 22,23 reais. Em 2011, os papéis registram desvalorização de 29%.

Na semana passada, sua controlada, Americanas.com, foi proibida de realizar vendas no estado do Rio de Janeiro. A companhia de varejo online descumpriu a determinação do Ministério Público e agora pagará 100.000 reais de multa diária caso não acate a decisão da Justiça.

Segundo decisão da desembargadora Helda Lima Meireles, da 15º Vara Câmara civel, por não cumprir a liminar e operar normalmente no estado, a pena foi aumentada.

JBS

A notícia de que a Rússia anunciou que a partir do próximo dia 15 estarão proibidas as importações de carne e produtos de carnes de 89 empresas de três estados brasileiros chegou a derrubar as ações do JBS (JBSS3).

O maior frigorífico do mundo chegou cair 1,8% na bolsa, mas inverteu o sinal após a companhia enviar comunicado afirmando que manterá as exportações para a Rússia a partir de oito unidades em regiões que não foram incluídas no embargo.

Marfrig

Após atingir a queda de 1,7% neste pregão, as ações ordinárias da Marfrig (MRFG3) ganham fôlego e operam próximas da estabilidade.

A empresa afirmou que irá remanejar para outras unidades as exportadas de carne para a Rússia. Segundo comunicado, não haverá impactos para companhia e a demanda de exportação será atendida.

No primeiro trimestre de 2011, a exportação para o mercado Russo representou 10,7% do total das exportações da Marfrig.

BR Foods

Já a Brasil Foods (BRFS3) sofre com o impacto da decisão do governo da Rússia de suspender temporariamente a importação de carne.

Questionada pela reportagem de EXAME.com sobre o impacto do embargo russo sobre os negócios, a assessoria de imprensa da Brasil Foods optou por não se pronunciar.

Segundo o último balanço da companhia, 9,7% do total da receita da Brasil Foods foi proveniente das exportações para a Euroásia no primeiro trimestre do ano. As ações da companhia chegaram hoje a cair 3,02%, cotadas a 28,22 reais (mínima do dia).

MPX

As ações da MPX Energia (MPXE3), do empresário Eike Batista, sobem forte na sessão desta quinta-feira (2). Na máxima do dia, os papéis subiram 2,5%, para 42,80 reais. Nos últimos 12 meses, já são 108% de valorização e, em 2011, a alta chega a 62%.

Os investidores repercutem a emissão de 1 bilhão de reais em debêntures conversíveis em ações. Os papéis serão subscritos pelo BNDESPar (600 mi), Eike Batista (200 mi), acionista controlador, e Gávea Participações (200 mi).

O analista da corretora Planner, Rafael Andreata, avalia a operação como um movimento positivo para o levantamento de recursos com o objetivo de financiar os projetos da empresa. Ele reiterou hoje a recomendação de compra às ações da empresa de energia do grupo EBX e acredita que a companhia será uma forte geradora de caixa nos próximos anos. O preço-alvo para o final de 2011 é de 48 reais, um potencial de valorização de 15%.