As maiores quedas do Ibovespa em semana marcada por coronavírus

Com derretimento nos mercados em meio ao temor de uma pandemia global, ações de companhias aéreas foram algumas das mais prejudicadas no Brasil

São Paulo — A semana foi curta no Ibovespa, mas as quedas foram amplas. A volta das negociações na quarta-feira de cinzas ocorreu no auge de uma renovada preocupação com o coronavírus se espalhando para fora da China.

Na semana, o Ibovespa teve queda acumulada de 10,6%. No mês de fevereiro, a baixa acumulada foi de 8,4% — a maior queda mensal desde maio de 2018. O Ibovespa até terminou a sexta-feira, 28, em alta de 1,15% após começar o dia em queda, mas não foi o suficiente para amenizar o resultado ruim dos dias anteriores.

A pedido de EXAME, a consultoria Economática levantou quais ações mais caíram nesta semana no Ibovespa. Possíveis restrições ao movimento de pessoas e cancelamento de viagens fizeram com que duas maiores quedas na semana fossem de companhias áreas, Gol com 24% e Azul com 20% (veja na lista abaixo).

Embora a semana tenha sido de baixas mais intensas, mesmo no acumulado do mês de fevereiro, somente três ações fecharam em alta dentre os principais componentes da B3, como mostrou reportagem anterior de EXAME. Em temporada de balanços, o coronavírus ofuscou alguns dos resultados positivos do quarto trimestre divulgados pelas empresas.

As baixas brasileiras seguem o movimento do exterior, onde os mercados tiveram a pior semana desde a crise financeira de 2008. Os principais índices, como o americano S&P 500 e o europeu STOXX 600, tiveram quedas acumuladas de mais de 10% na semana. Mais de 5 trilhões de dólares foram perdidos nos mercados — o equivalente ao Produto Interno Bruto (PIB) do Japão, a terceira maior economia do mundo.

A principal preocupação é que o coronavírus torne-se uma pandemia global. Já são mais de 6.000 casos da doença causada pelo novo coronavírus fora de território chinês, segundo números deste sábado, 29. Ao todo, são mais de 86.000 casos e mais de 2.900 mortes, a maioria na China.

Neste cenário, além das companhias aéreas, também estão entre as ações mais afetadas as de empresas brasileiras exportadoras, como os frigoríficos Marfrig e JBS, a mineradora Vale e a petroleira Petrobras — todas com queda acima de 10% nas ações nesta semana. Abaixo, veja quais ações do Ibovespa caíram mais de 10% entre os dias 26 e 28 de fevereiro e a queda acumulada de cada papel.

As ações que mais caíram na semana

Gol (GOLL4) -24,31%

Azul (AZUL4) -20,14%

Via Varejo (VVAR3) -17,01%

CVC Brasil (CVCB3) -16,68%

Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3) -14,85%

B2W Digital (BTOW3) -14,58%

Marfrig (MRFG3) -13,72%

Embraer (EMBR3) -13,20%

WEG (WEGE3) -13,06%

Petrobras preferencial (PETR4) -13,04%

JBS (JBSS3) -12,63%

Qualicorp (QUAL3) -12,61%

Metalúrgica Gerdau (GOAU4) -12,44%

Braskem (BRKM5) -12,12%

Smiles Fidelidade (SMLS3) -12,00%

Petrobras ordinária (PETR3) -11,99%

Cyrela (CYRE3) -11,88%

Klabin (KLBN11) -11,78%

Vale (VALE3) -11,61%

Rumo (RAIL3) -11,59%

Bradespar (BRAP4) -11,48%

Gerdau S.A. (GGBR4) -11,36%

Perdigão (BRFS3) -10,94%

Usiminas (USIM5) -10,91%

Iguatemi (IGTA3) -10,60%

Sabesp (SBSP3) -10,54%

AMBEV (ABEV3) -10,52%

Magazine Luiza (MGLU3) -10,50%

Grupo Ultra (UGPA3) -10,34%

GPA (PCAR4) -10,10%

CCR (CCRO3) -10,03%