As ações mais negociadas na Bolsa no 2° melhor mês da história

No primeiro mês de 2018 foram movimentados, em média, 9,09 bilhões de reais por dia; veja a lista dos papéis mais negociados

São Paulo — A Bolsa registrou em janeiro o 2° maior volume de negociação da história. De acordo com a provedora de informações financeiras Economatica, no primeiro mês de 2018 foram movimentados, em média, 9,09 bilhões de reais por dia.

O volume só não é maior do que o alcançado em outubro de 2014, quando a média de negociações diária foi de 9,43 bilhões.

Em janeiro, as ações mais negociadas foram as preferenciais da Petrobras. No período, os papéis da petrolífera movimentaram diariamente 1,05 bilhão de reais. O valor corresponde a quase 12% de tudo o que foi negociado na Bolsa.

Depois delas, aparecem as preferenciais do Bradesco, cuja movimentação diária ultrapassou os 965 milhões de reais. A terceira maior movimentação foi em ações do Itaú Unibanco, com volume médio diário de 897,4 milhões de reais.

Entre os setores, o destaque fica para o bancário. Das 20 ações mais líquidas no mês de janeiro, quatro eram de bancos. Juntas, elas corresponderam a quase 30% da movimentação no período.

Empresa Ação Volume médio diário em janeiro
Petrobras PETR4 R$ 1,05 bilhão
Bradesco BBDC4 R$ 965,3 millhões
Itaú Unibanco ITUB4 R$ 897,4 millhões
Ambev ABEV3 R$ 521,6 millhões
Banco do Brasil BBAS3 R$ 437,9 millhões
B3 BVMF3 R$ 350,1 millhões
Kroton KROT3 R$ 287,2 millhões
Petrobras PETR3 R$ 275,5 millhões
Itaúsa ITSA4 R$ 269,6 millhões
Usiminas USIM5 R$ 268,4 millhões
Gerdau GGBR4 R$ 191,8 millhões
Rumo RAIL3 R$ 191,2 millhões
CSN CSNA3 R$ 164,9 millhões
Localiza RENT3 R$ 162,2 millhões
Pão de Açúcar PCAR4 R$ 148,5 millhões
Cielo CIEL3 R$ 135,3 millhões
Iguatemi IGTA3 R$ 124,6 millhões
Telefônica Brasil VIVT4 R$ 124,5 millhões
Raia Drogasil RADL3 R$ 120,4 millhões
BRF BRFS3 R$ 118 millhões

Os números refletem o bom momento vivido pela bolsa brasileira, que é beneficiada pelo aumento do apetite dos investidores por ativos de risco, além do aumento do fluxo de investimentos internacionais.

Só em janeiro, o Ibovespa acumulou ganhos de 11% no melhor janeiro dos últimos seis anos.