Após prisão de Temer, Ibovespa cai mais de 2% e dólar sobe

As prisões inflamam as tensões entre a classe política e as forças da Lava Jato e podem complicar o acerto das reformas

São Paulo — O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, ampliou a queda nesta quinta-feira (21) após a prisão do ex-presidente Michel Temer. Por volta de 12h45 (de Brasília), o índice caia cerca 2,3%, na casa dos 95,8 mil pontos. No câmbio, o dólar comercial subia 1,4%, cotado a 3,8185 reais na venda.

O ex-ministro de Minas e Energia do governo Temer, Moreira Franco, também foi preso. As prisões inflamam as tensões entre a classe política e as forças da Lava Jato e podem complicar o acerto da Reforma da Previdência. Na quarta-feira (20), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, já havia feito críticas ao ministro da Justiça Sergio Moro.

“Tudo isso em conjunto evidencia que teremos maior incerteza política, em um momento em que o presidente não está com sua capacidade de articulação plena”, diz o economista-chefe da corretora Necton, André Perfeito.  Ao que tudo indica, outros nomes de peso podem ser presos ou pressionados em breve, o que deve mexer ainda mais com a Bolsa.

Para Karel Luketic, analista-chefe da XP Investimentos, a prisão de Temer e Moreira Franco só adiciona risco às negociações da Reforma. “Aumenta a tensão no Congresso e lembra o mercado de que o processo [de aprovação da Reforma da Previdência] não é simples. É uma reação de certa forma contida, dado o tamanho do evento, mas deixa os investidores em alerta”.

Segundo Luketic, o mercado tem uma expectativa de Reforma que gere uma economia em torno de 600 a 700 bilhões de reais. “Se for aprovado algo abaixo disso, a reação não deve ser positiva.”

Ontem, o governo entregou ao Congresso o projeto de Reforma da Previdência dos militares, que prevê economia de 10,45 bilhões de reais em 10 anos. O valor bem do que os mais de 90 bilhões de reais que foram divulgados pela equipe econômica anteriormente.

Gráfico do Ibovespa na manhã de 21/03/19 Gráfico do Ibovespa na manhã de 21/03/19

Gráfico do Ibovespa na manhã de 21/03/19 (B3/Reprodução)

Dólar

No câmbio, o dólar ampliou a alta após a notícia de prisão de Temer. Por volta das 11h, a moeda americana estava cotada em 3,7795 reais na venda. Em seguida, quando a Polícia Federal anunciou a prisão do ex-presidente, a cotação da divisa dos Estados Unidos deu um salto até atingir a máxima de 3,8267 reais, às 11h49.

Nas casas de câmbio, o dólar turismo chegou a 3,99 reais na venda. E a recarga em cartões pré-pagos já cobra 4,18 reais pela moeda dos EUA.

CDS

O efeito da prisão de Temer e Moreira Franco também foi sentido no CDS do Brasil, um indicador internacional de percepção de risco (uma espécie de seguro contra calote). O CDS Brasil começou o dia perto dos 163 mil pontos. Após a prisão, pulou para 165,6 mil pontos.

CDS do Brasil na manhã de 21/03/2019 CDS do Brasil na manhã de 21/03/2019

CDS do Brasil na manhã de 21/03/2019 (Bloomberg/Reprodução)