Após pânico, Ibovespa caminha para uma semana mais “tranquila”

Dados de inflação e de atividade no Brasil, nos EUA e na Europa devem impactar mercados, mas projeções são positivas; balanços corporativos também dão tom aos negócios

São Paulo – A semana compreendida entre os dias 9 e 13 de maio reserva eventos e indicadores econômicos importantes, tanto no Brasil como no exterior. Se as projeções forem confirmadas, dados de inflação e de atividade econômica em diversos países, inclusive por aqui, devem trazer fôlego aos mercados.

No cenário doméstico, os investidores acompanham no decorrer da semana os números da inflação e de vendas no varejo. Lá fora, os olhares estarão atentos ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de diversas economias da Europa, além de dados de atividade nos Estados Unidos e na China.

O Ibovespa, principal índice de ações brasileiro, terminou o último pregão com alta de 1,59%, cotado a 64.417 pontos. No entanto, a desvalorização totalizou 2,59% no acumulado da semana, enquanto a perda total no ano é de 7,05%.

O desempenho do Ibovespa é bastante inferior quando comparado aos seus pares globais. Nos EUA, por exemplo, o Standard & Poor’s 500 (S&P 500) avança 6,56% no ano, enquanto o Dow Jones sobe 9,17% e o Nasdaq tem valorização de 6,58%.

“Os sinais apontam para uma semana de bom humor no mercado brasileiro, pelo menos no que depender dos indicadores econômicos”, prevê André Perfeito, economista da Gradual Investimentos. Ele não descarta a hipótese de que o “pânico” visto nos mercados na semana passada volte a ocorrer.

“Os investidores no exterior estão caçando prêmios, já que grande parte dos índices lá fora apresenta forte valorização no acumulado do ano. Chegou a hora dos investidores estrangeiros começaram a ‘olhar de volta’ para o Brasil”, explica Perfeito.

“O mercado já precificou as ‘barreiras’ que o governo brasileiro poderia adotar para conter a valorização do real. E como as preocupações com a inflação tendem a diminuir, acredito que o Ibovespa deve ter melhor desempenho em relação aos seus pares globais nesta semana”.

Esquenta a temporada de resultados corporativos

Enquanto alguns balanços de empresas agradaram ao mercado nos últimos sete dias, outros decepcionaram. A temporada de resultados ganha fôlego nesta semana com mais companhias nacionais divulgando números.

Na segunda-feira (9), Gafisa, Credicorp, Banco ABC Brasil, Randon Participações, Marcopolo, Even e Hypermarcas publicam seus resultados. Na terça-feira (10) é a vez de Banco do Brasil, DASA, EcoRodovias, OSX, Gol, Equatorial Energia, JBS-Friboi, ALL Logística, Itausa, UOL, Iochpe-Maxion, Multiplan, Odontoprev e Amil.

Na quarta-feira (11), Alianse, Arezzo, CSU CardSystem, BicBanco, Banco Indusval, CPFL Energia, Droga Raia, Drogasil, Julio Simões Logística, Tecnisa, Log-In, Paraná Banco, SLC Agrícola, Suzano Papel e Celulose, Copel, Ultrapar, MMX Mineração e AES Eletropaulo informam seus números.


Na quinta-feira (12), saem os dados de MPX, LLX, Sabesp, Triunfo Participações e Investimentos, Brookfield, Mills, Braskem, Banrisul, BM&FBovespa, CETIP, HRT, Copasa, MRV Engenharia, Brasil Ecodiesel, Banrisul, Fertilizantes Heringer, Cyrela Brazil Realty, Positivo, Pão de Açúcar, Rossi Residencial e AES Tietê.

Já na sexta-feira (13), CCDI, Renova Energia, Wilson Sons, Alpargatas, Banco Cruzeiro do Sul, BR Properties, Cesp, Cemig, Light, Brasil Foods, OHL Brasil, Iguatemi e Petrobras divulgam balanço.

Brasil: dados de inflação e vendas no varejo são destaque

Na agenda interna, a atenção dos investidores estará voltada na segunda-feira para a divulgação do relatório Focus, com as projeções dos economistas para o PIB, inflação e taxa de juros, além da publicação do Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), referente a abril.

Seguindo o observado na última sexta-feira (6) com o IPCA, este último indicador deve apresentar desaceleração nesta medição, conforme projeções da Gradual Investimentos, o que deve colaborar na redução das preocupações do mercado em torno das pressões inflacionárias. “Acredito que essa tendência de baixa no IGP-DI deve continuar nas próximas medições”, previu André Perfeito.

Ainda na cena doméstica, o outro destaque vai para os dados de vendas no varejo, referente a março e previsto para sair na quinta-feira. A estimativa da Gradual Investimentos é que o indicador registre alta de 1,5%, contra uma variação negativa de 0,4% alcançada no mês anterior.

EUA: índices de atividade e inflação dominam a pauta

Os dados de estoques no atacado, índice de otimismo econômico e vendas no varejo devem dar aos investidores no decorrer da semana uma ideia sobre o desempenho da economia dos Estados Unidos.

Além desses três índices de atividade, serão divulgados indicadores de inflação (índice de preços ao produtor, ao consumidor e de importação), referentes a abril. “A expectativa é que os dados apresentem leve aceleração”, estima a equipe de pesquisas do Banco Fator, comandada pela analista Lika Takahashi.

PIB na Europa e produção industrial na China

Ainda na semana está prevista a divulgação de importantes indicadores econômicos na China. Dados como produção industrial e vendas no varejo, que podem sinalizar um possível desaquecimento na economia do gigante asiático, serão conhecidos na terça-feira. Já na Europa, o mercado acompanha na sexta-feira a publicação do PIB da Alemanha e dos demais países da região.