Anúncio do Fed faz euro operar perto da máxima

O dólar caiu para a mínima em um mês ante o iene, enquanto o dólar australiano opera estável após as vendas de ontem

Nova York – O euro se fortaleceu nesta quarta-feira e se aproximou da máxima em um mês ante o dólar, na medida em que os traders se preparam para o comunicado de política monetária do Federal Reserve.

Qualquer menção de uma fraqueza da economia dos EUA pode adiar as expectativas do mercado sobre a hora em que a redução de estímulos do banco central vai começar e isso pode pressionar o dólar, que vem se fortalecendo em meio às especulações de que o Fed será o primeiro entre os maiores bancos centrais do mundo a apertar sua política monetária.

“Se dados fracos forem mencionados no comunicado, as especulações sobre uma redução de estímulos iminente serão reduzidas e podem colocar o dólar sob pressão”, disse Lutz Karpowitz, estrategista do Commerzbank. O euro já avançou mais de 2% frente ao dólar desde o início de julho em meio a essas especulações.

Antes do comunicado do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), sairá a primeira leitura do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no segundo trimestre. Economistas acreditam que o crescimento desacelerou para 0,9%, ante 1,8% no primeiro trimestre.

Já em relação ao Banco Central Europeu (BCE), analistas afirmam que não deve haver mudanças no comunicado de quinta-feira.

O dólar caiu para a mínima em um mês ante o iene, enquanto o dólar australiano opera estável após as vendas de ontem em meio às expectativas de que o banco central do país precisará continuar cortando os juros para apoiar a economia.

Às 8h11 (horário de Brasília), o euro estava cotado em US$ 1,3252, de US$ 1,3262 na terça-feira, 30, após ter atingido a máxima de US$ 1,3301. O dólar operava em 97,67 ienes, de 98,05 ienes na terça-feira, 30. A libra era negociada a US$ 1,5203, de US$ 1,5241, na terça-feira, 30. Fonte: Dow Jones Newswires.