Amil dispara com anúncio de venda para UnitedHealth

A empresa americana vai adquirir 60% das ações da Amil, 10% ficarão com os atuais controladores da empresa e os outros 30% serão negociados em oferta pública

São Paulo – UnitedHealth Group (UNH) e Amil Participações S.A. (AMIL3) anunciaram hoje uma associação entre elas. Segundo o comunicado divulgado pelas empresas, a UNH vai adquirir cerca de 90% das 359 milhões de ações da Amil ao preço de R$ 30,75 cada em duas etapas. Com a confirmação do acordo, as ações da Amil operam em forte alta na Bovespa. Na máxima do dia, os papéis subiram 15,77%. Nos EUA, as ações da UnitedHealth têm leve alta de 1,28%.

Após a aprovação dos órgãos reguladores brasileiros, esperada para ocorrer no quarto trimestre de 2012, a UnitedHealth Group adquirirá aproximadamente 60% do total de ações da Amil, parcela esta atualmente detida pelos acionistas controladores e membros da administração e, no primeiro semestre de 2013 realizará uma oferta pública (OPA) para adquirir os aproximadamente 30% detidos pelos acionistas minoritários. O valor total da operação deve ser de, aproximadamente, US$ 4,9 bilhões.

Edson Bueno e Dulce Pugliese, atuais controladores da Amil com 70% de participação, terão ainda 10% de participação na companhia, por pelo menos cinco anos. Bueno também investirá 470 milhões de dólares em ações da UNH e deverá mantê-las por cinco anos também. Além disso, ele continuará no cargo de presidente do conselho de administração e CEO da Amil, assim como os principais executivos da empresa, que continuarão em suas posições. 

Antes de o negócio ser confirmado, o banco BTG Pactual adiantou na sexta-feira que a expectativa é de que com a confirmação, as ações da Amil sejam negociadas com um pequeno desconto por conta do custo de carregar os papéis até a efetivação da OPA.

Para a UnitedHealth, a associação deve representar um pequeno acréscimo em seu lucro por ação. No comunicado divulgado à imprensa, a empresa americana afirmou que espera que seu índice dívida/capital cresça temporariamente para 36%, mas que deve retornar a níveis inferiores à 35% até o final do segundo trimestre do ano que vem. 

Setor de saúde

No setor de saúde, outras empresas também negociam em alta. A Dasa (DASA3), empresa de diagnósticos, chegou a subir 7,69% na máxima do dia, negociada a 14 reais. A Tempo Participações (TEMP3), que presta serviços de seguro saúde e planos odontológicos, chegou a subir 8,4%, com seus papéis sendo negociados a 3,99 reais. As ações do laboratório Fleury (FLRY3) seguem a tendência do setor e sobem 1,36%. A Odontoprev (ODPV3), maior provedora de planos odontológicos, também negocia em alta, e chegou a 6,26% na sua máxima do dia.